quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Cair pode fazer bem.

Tem muita gente que diz que melhor do que ser rebaixado para pôr ordem na casa, é fazer isso na primeira divisão. Até concordo, mas vendo o retrospecto dos times grandes que caíram e subiram, podemos dizer que a segundona não é um negócio tão ruim assim.
O Palmeiras voltou em 2004 e foi quarto colocado em dois anos seguidos. Depois terminou em 16º, sétimo e novamente ficou em quarto lugar. O Botafogo subiu também em 2004 e terminou em 20º lugar, o primeiro a se salvar da degola. Depois foi nono, 12º e mais uma vez nono e esse ano em sétimo lugar.
O Grêmio se salvou por 1 ponto em 2003, caiu em 2004 e quando voltou terminou 2006 em 3º, 2007 em sexto e 2008 na segunda colocação.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

O São Paulo chegou porque é muito bom, não porque deixaram.

Embora o discurso dos próprios jogadores do São Paulo tenha sido o de "nos deixaram chegar" não acho que o Tricolor foi campeão somente pelos erros dos concorrentes. O time de Muricy teve muitos méritos no segundo turno e daí veio o tricampeonato.

Na primeira parte do campeonato, foram apenas duas vitórias fora de casa. No segundo turno, foram cinco. Nos 12 últimos jogos, o São Paulo só perdeu 4 pontos. Além disso e o mais impressionante, foi tirar 11 pontos de diferença para o Grêmio e ainda abir 3. São 14 pontos em 18 jogos.

Em que pese a má campanha do Grêmio no returno com 31 pontos conquistados (10 a menos que na primeira metade da competição), o São Paulo só foi campeão porque ficou 18 partidas sem perder. Logo depois da derrota para os gaúchos por 1 a 0 na 20ª rodada, o São Paulo venceu o Atlético-PR por 3 a 1 no Morumbi. Se tivesse perdido para o Furacão e depois tido o mesmo final de campeonato fantástico que teve com 17 jogos sem perder, teria ficado com os mesmos 72 pontos do Grêmio e perdido o campeonato no número de vitórias.

Por isso não acho que deixaram o São Paulo chegar. O São Paulo chegou porque foi além do que os próprios são-paulinos esperavam.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Caio Junior vai para Tóquio

Caio Júnior vai se despedir do Flamengo no domingo. Independentemente de ficar fora da Libertadores ou ser terceiro colocado no campeonato brasileiro. A fonte pede para não ser identificada, mas inclusive dá valores do contrato do treinador. Caio vai para o Tóquio FC e vai receber 550 mil dólares por mês. Existe ainda uma informação de que ele possa comandar o Vissel Kobe, mas aposto no Tóquio.

A Sul-Americana ficou importante.

Bastava um time brasileiro vencer para isso se tornar realidade. Enquanto as equipes negligenciavam a competição e colocavam times mistos até mesmo na fase internacional, não passando de meros quadjuvantes, a Sul-Americana não apresentou o mínimo interesse para o público.

Com o título do Inter, a cobertura da mídia, a vibração dos jogadores e da torcida, e além disso, a possibilidade de uma vaga na Libertadores, os clubes brasileiros certamente vão mostrar mais interesse a partir do ano que vem.

Só penso que ainda existam muitas vagas para a competição. Oito times do campeonato brasileiro se enfrentam na fase preliminar. Se fossem apenas quatro, direto para os confrontos internacionais, o final do campeonato brasileiro seria mais emocionante com o quinto, sexto, sétimo e oitavo lugar realmente valendo alguma coisa a mais. Hoje, tanto faz ser quinto ou 12º lugar.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Nada de cavalo paraguaio

A primeira vez que ouvi o jargão foi em 2003 quando Vampeta disse que o Cruzeiro não seria campeão brasileiro. Ano passado, o Botafogo arrancou no primeiro turno e terminou o campeonato apenas na nona colocação.
Em 2008 o Grêmio chegou a abrir 11 pontos de vantagem para o São Paulo após a primeira rodada do segundo turno e deve ser vice-campeão, mas pelo que se esperava do time gaúcho no início do Brasileiro, o Grêmio é muito mais um azarão que consegue chegar em segundo, do que um favorito que não consegue ser o primeiro.
Cruzeiro, Palmeiras e Flamengo disputam as duas últimas vagas na Libertadores. O Cruzeiro esteve entre os quatro primeiros em 36 rodadas e sua pior colocação foi um quinto lugar. O Palmeiras entrou no G-4 na oitava rodada e depois saiu seis vezes, sendo que liderou o campeonato duas vezes. O Flamengo foi líder por 10 rodadas e sua pior colocação foi o 7º lugar.
Qualquer que seja o time que fique de fora da Libertadores em 2009 não é certo chamá-lo de cavalo paraguaio. Todos os três sempre brigaram em cima, sempre tiveram postura de favorito e um terá que ficar de fora por mérito dos outros, apesar das chances que cada um desperdiçou.
Hoje Cruzeiro e Flamengo tem 64 pontos, 58% de aproveitamento. Em 2003, o 5º colocado, que seria o primeiro fora da Libertadores, teve 53%. Em 2004, o 5º conquistou 54% dos pontos disputados, assim como em 2005. Em 2006, o Paraná obteve 53% e ficou em 5º lugar e no ano passado o Cruzeiro teve o mesmo aproveitamento na quinta colocação.
Esse ano, caso o Flamengo ou o Cruzeiro perca o seu jogo, o 5º terá 56%. Se os dois vencerem e o Palmeiras também, 58% não será o suficiente para se chegar a Libertadores. Ou seja, nunca foi tão difícil uma vaga na principal competição da América.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Juninho fica no Atlético em 2009.

Conversei com o goleiro nesta sexta-feira, ele estava no shopping com a esposa procurando móveis para o novo apartamento na região da Pampulha, em Belo Horizonte.

O jogador começou o ano como titular e em grande forma, renovou seu contrato por mais duas temporads mas perdeu a posição após a partida contra o Náutico no primeiro turno. 19 rodadas depois, Juninho reassumiu a condição de titular, mas se contundiu na partida contra o Vasco. Foi constatada uma hérnia de disco que o tirou dos campos até 2009.

No ano que vem, Juninho segue no Atlético e só a pré-temporada para definir se como titular ou reserva.

37ª rodada: informações e palpites.

São Paulo x Fluminense: ano passado o São Paulo ficou 16 jogos sem perder, assim como está em 2008. São 28 pontos conquistados nos últimos 30 possíveis. Ano passado, o tricolor paulista chegou a ficar 16 jogos sem perder e a seqüência começou justamente após um jogo contra o Fluminense no Morumbi: vitória dos cariocas por 1 a 0, gol de Somália cobrando pênalti. O Flu tem Washington ainda disputando a artilharia. O jogador marcou 5 vezes em 3 jogos contra o São Paulo esse ano.
Palpite: São Paulo

Atlético-MG x Santos: a exceção do clássico contra o Cruzeiro, o Atlético não perdeu em casa no segundo turno. A última derrota foi para o Grêmio em 9 de agosto. No ano passado, o Galo perdeu por 2 a 1 para o Santos jogando no Mineirão, em compensação venceu esse ano na Vila Belmiro, jogo que culminou com a saída de Cuca. O Santos vem de uma goleada por 5 a 1 para o Coritiba e não vai ter Kleber Pereira. O artilheiro do campeonato só marcou duas vezes longe da Vila Belmiro. O Santos só venceu duas vezes fora de casa e marcou 10 gols.
Palpite: Atlético-MG

Ipatinga x Grêmio: O Ipatinga pode ser rebaixado matematicamente nessa rodada. Ano passado, o América terminou o campeonato com a metade dos pontos que o Tigre tem e caiu faltando 7 rodadas para terminar o campeonato. Se o Grêmio vencer e o Flamengo não, o time gaúcho se garante na Libertadores do ano que vem com uma rodada de antecedência. Dos 5 primeiros, apenas o Cruzeiro não venceu em Ipatinga.
Palpite: Grêmio

Coritiba x Vasco: o Vasco pode ser rebaixado caso não vença seu jogo e o Náutico passe pelo Atlético-PR. Fora de casa, são apenas três vitórias em 18 partidas, ainda assim uma delas foi em clássico contra o Fluminense. No primeiro turno, o Coxa venceu no Rio por 2 a 0. Keirisson volta a briga pela artilharia depois dos quatro gols que fez contra o Santos e deve se mostrar mais motivado para as duas últimas rodadas.
Palpite: Coritiba

Náutico x Atlético-PR: Roberto Fernandes havia sido demitido do Atlético-PR uma rodada antes do confronto contra o Náutico e assumiu o Timbú logo depois da derrota para o Furacão por 2 a 0. Se o Náutico vencer, Roberto Fernandes complica os paranaenses que enfrentam o Flamengo na última rodada. Quatro equipes ainda podem ultrapassar o Atlético. O Furacão fez 14 pontos nas últimas seis rodadas, o Náutico fez 9, mas não perde em casa desde os 2 a 0 do Flamengo em 4 de outubro.
Palpite: Náutico

Internacional x Cruzeiro: com o time reserva, o Inter venceu o Ipatinga e perdeu para Santos e Fluminense. Guiñazu, suspenso na Sul-americana deve reforçar a equipe. O Colorado está em oitavo e pode ser sexto se vencer ou 12º se perder. O Cruzeiro perdeu as quatro últimas partidas fora do Mineirão (São Paulo, Atlético-PR, Goiás e Náutico). Ano passado, faltando três rodadas, o time mineiro precisava vencer para não depender de outros resultados e chegar a Libertadores, mas foi derrotado por 1 a 0, gol de Alex cobrando falta.
Palpite: Cruzeiro

Vitória x Palmeiras: jogo que tem história nos últimos 15 anos: em 1993, o Palmeiras foi campeão brasileiro vencendo os baianos. Em 2002, foi rebaixado depois de perder no Barradão e em 2003 levou 7 a 2 no Parque Antártica pela Copa do Brasil com grandes atuações de Nádson e Dudu Cearense. O Vitória não vencia há 7 rodadas até fazer 4 a 2 no Grêmio re-alimentando a polêmica a cerca da “mala branca”. O time baiano vai ter quatro desfalques, três deles devido ao fato dos jogadores pertencerem ao Palmeiras.
Palpite: Palmeiras

Botafogo x Figueirense: o Botafogo já está na Sul-americana do ano que vem e não vai ter cinco titulares machucados. O Figueira também pode cair nessa rodada, assim como o Vasco: se perder e o Náutico derrotar o Atlético-PR. Fora de casa o time catarinense só venceu 3 vezes e o Botafogo perdeu 5 como mandante.
Palpite: empate

Flamengo x Goiás: no primeiro turno, o Flamengo jogou melhor, mas perdeu por 2 a 1 com gol de Romerito no último minuto. Foi a última partida da série de sete jogos sem vencer do Fla. Para chegar a Libertadores de 2009, o rubro-negro precisa vencer Goiás e Atlético-PR e torcer por um tropeço de algum de seus concorrentes: Palmeiras, Cruzeiro ou Grêmio. O Goiás chegou a ser líder do 2º turno, mas tem hoje o quarto melhor aproveitamento com 57%.
Palpite: empate.

Portuguesa x Sport: a situação da Lusa é idêntica a de Vasco e Figueirense. Já são quatro jogos sem vitória e depois do Sport, a Portuguesa joga no Mineirão contra o Cruzeiro. De todos os times que lutam contra o rebaixamento, a Portuguesa tem o caminho mais difícil. No primeiro turno, vitória pernambucana por 2 a 0. O Sport perdeu as últimas cinco partidas que fez como visitante (Flamengo, Cruzeiro, Grêmio, Atlético-PR e Ipatinga) e marcou apenas um gol. A última vitória foi para o, então vice-líder, Palmeiras, por 3 a 0.
Palpite: Portuguesa

Eu errei, o Símon não.

Todo brasileiro é técnico e, pelo visto, árbitro de futebol também. Assisti a Cruzeiro e Flamengo pela televisão e na hora do lance entre Léo Fortunato e Diego Tardelli não tive dúvidas: pênalti. À medida que via o replay do lance, pelos diversos ângulos que a Globo posssibilita, minha convicção só aumentava. Até que na quarta-feira a noite, assistindo ao Sportscenter na ESPN, vi a imagem por um ângulo da linha de fundo e mudei de opinião: não houve falta.
A discussão sobre Símon, pênalti, Flamengo e arbitragem se encerra com essa imagem. Acerto do juiz e erro dos diretores, jogadores e técnico do Flamengo que jogam para debaixo do tapete erros e mais erros cometidos por eles durante o campeonato, deixando a culpa para a arbitragem.
O que tudo isso me fez pensar é sobre a idéia de se colocar recursos eletrônicos para desfazer dúvidas em lances polêmicos. Eu, mesmo com o recurso da TV, errei por quatro dias a respeito de um lance capital para o campeonato e o futuro do ano seguinte de duas grandes equipes do país. Repito, errei mesmo com o recurso da TV. Símon acertou acreditando em seus olhos. Assim como poderia ter errado, e já errou.
A questão é que nem mesmo as imagens nos garantem com convicção o que de fato ocorreu em diversos lances. Se o jogo houvesse sido paralisado e todos no estádio esperassem pelo replay para saber se aconteceu ou não o pênalti, o Flamengo possivelmente teria empatado o jogo. Até que dias depois uma outra imagem mostraria outra versão da história e retiraria o possível gol aos 47 do segundo tempo?
Assim como os árbitros erram, as imagens também podem nos enganar. Que acertem ou errem os árbitros, mas com convicção. Parabéns Símon.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Cruzeiro pode superar 2003 pela primeira vez.

O Cruzeiro pode pela primeira vez superar alguma marca do time que foi campeão brasileiro de 2003. A equipe de Luxemburgo teve apenas uma derrota nos 24 jogos que fez no Mineirão (para o Juventude por 2 a 1) e ainda 5 empates - São Caetano, Corinthians, Atlético-MG, São Paulo e Coritiba. Foram 18 vitórias, contando o outro clássico contra o Galo. O aproveitamento foi de 82%.

A equipe de 2008 já tem 82,4%. Foram 19 jogos até aqui, com 15 vitórias, dois empates (São Paulo e Coritiba) e duas derrotas (Goiás e Palmeiras). Se vencer a Portuguesa na última rodada, o percentual final será de 83%.
Confira os melhores desde 2003:
2003: Cruzeiro – 59 pontos em 24 jogos (contando dois clássicos com o Atlético onde na prática não há mandante ou visitante). Aproveitamento: 82%.

2004: Santos – 56 pontos em 23 jogos (contando seis partidas fora da Vila Belmiro porque perdeu mando de campo). Aproveitamento de 81%. Se formos contar só os jogos em sua própria casa, o Atlético-PR teve 53 pontos conquistados. 77%.

2005: Palmeiras: 46 pontos em 21 jogos. Aproveitamento de 73%.

2006: Santos: 47 pontos em 19 jogos. Aproveitamento de 82%.

2007: São Paulo: 42 pontos em 19 jogos. Aproveitamento de 73%.
2008: São Paulo (que não joga mais em casa) tem 46 pontos (81%). Palmeiras e Cruzeiro têm 44, podem chegar a 47 e igualar o Santos de 2006. O Cruzeiro poderá ter o melhor aproveitamento como mandante da história dos pontos corridos, se levarmos em conta o jogo contra o Atlético.

Renan Oliveira fica, Leandro Almeida pode sair.

A informação é do próprio Renan. 50% de seus direitos ainda pertencem ao Atlético, 20% do Grupo Bretas e 30% da Traffic. Renan tem a intenção de jogar mais um ano no Brasil, disputar o Sulamericano Sub-20 pelo Brasil, se firmar no Atlético e ganhar experiência para aí sim pensar em sair do país.

O jogador só admite uma negociação se for algo fora do comum para o Atlético.

Já Leandro Almeida pode ir para o Corinthians, embora seu empresário negue o acordo, mas não negue que tenha sido procurado. Leandro também tem 50% dos direitos presos ao clube mineiro.

O certo é que o Atlético deve negociar algum jogador no início do ano para fazer caixa uma vez que parte da verba da TV para 2009 já foi utilizada em 2008 para o pagamento de salários e outros compromissos. O mais provável é que saia Leandro Almeida.

Explicação

Sei que não são muitos que visitam o blog, mas para aqueles que gostam de acompanhar, fiquei alguns dias ausente devido a semana final na faculdade. Agora as postagens continuarão a ser "quase diárias", como normalmente.

Obrigado.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

35ª rodada: informações e palpites

Náutico x Cruzeiro: embora confie no apoio da torcida, o Náutico tem apenas 50% de aproveitamento jogando em casa. Entre os 5 primeiros colocados, o Timbú venceu o São Paulo, empatou com Grêmio (levou o gol de empate no último lance) e Palmeiras e perdeu para o Flamengo. O Cruzeiro perdeu 9 das 16 vezes que jogou fora de casa. Mesmo assim, tem a 4ª melhor campanha como visitante.
Palpite: Cruzeiro

Ipatinga x Sport: o Ipatinga precisa de quatro vitórias para se salvar. Depois do Sport ainda encara Palmeiras, Grêmio e Fluminense. O Sport venceu duas vezes nas últimas 10 rodadas, as duas na Ilha. Como visitante, a última vitória foi contra o Palmeiras: 3 a 0 em 4 de setembro.
Palpite: Ipatinga

Fluminense x Portuguesa: as duas equipes vem em ascensão: o Fluminense fez 10 e a Portuguesa 9 dos últimos 18 pontos possíveis. Há duas semanas, a Lusa foi ao Maracanã e levou o gol de empate do Flamengo aos 38 minutos. Quando se enfrentaram no primeiro turno, o time paulista tinha 3 pontos a mais. O Flu é o 16º e se vencer, pode chegar a 13ª, o que seria sua melhor colocação na competição. Para se manter na série A, a Portuguesa tem ainda Goiás, Sport e Cruzeiro.
Palpite: Fluminense

São Paulo x Figueirense: já são 14 jogos de invencibilidade do São Paulo. Para ser campeão, o time paulista acredita que não pode perder até o final da competição. Se chegar a 18, faz a maior seqüência invicta entre todos os times em 6 anos de pontos corridos. Dos titulares, só André Dias não joga. O Figueirense venceu 3 vezes nas últimas 22 rodadas. A última delas contra o Vasco em São Januário. O time tem 5 desfalques.
Palpite: São Paulo

Flamengo x Palmeiras: o Flamengo fez 11 pontos nos últimos 18 possíveis. O Palmeiras fez 7. Somente nesse período, o São Paulo fez 16. Nos confrontos diretos, o Flamengo só venceu o Grêmio. Perdeu duas para o São Paulo, uma para Cruzeiro e outra para o Palmeiras. Já o time paulista, venceu o Cruzeiro duas vezes, empatou uma e perdeu outra para o São Paulo, perdeu as duas para o Grêmio. São 10 pontos contra 4 do Fla. No ano passado, no mesmo momento, as duas equipes estavam empatadas com 55 pontos. O Flamengo era o terceiro e o Palmeiras, o quarto.
Palpite: Flamengo

Goiás x Botafogo: duas equipes pouco interessadas no campeonato e em mau momento: o Goiás venceu uma vez nas últimas 7 rodadas. O Botafogo só 3 vezes nas últimas 10. No primeiro turno, o alvinegro venceu por 2 a 0 e começou uma seqüência de seis vitórias seguidas. O time goiano tem o retorno de Romerito. O jogo vai ser em Itumbiara. A última vez que o Goiás jogou lá foi na decisão do campeonato goiano: perdeu por 3 a 0.
Palpite: Goiás

Grêmio x Coritiba: no primeiro turno, o Grêmio tirou a invencibilidade do Coxa no Couto Pereira. O Grêmio só perdeu uma vez no Olímpico, mas empatou quatro e é apenas o 5º melhor mandante da competição. No ano passado, o Grêmio brigava pela Libertadores e depois de 34 jogos, tinha 54 pontos. 9 a menos do que hoje. Em 2008, o Grêmio pode passar os 67 pontos e superar sua melhor marca nos pontos corridos. O Coritiba venceu a última vez fora de casa há quase dois meses: em 20 de setembro contra o Fluminense.
Palpite: Grêmio

Santos x Internacional: o Peixe já não vence há três partidas e precisa de quatro pontos para se garantir na série A do ano que vem. No primeiro turno, o Peixe surpreendeu no Beira Rio: 1 a 0 gol de Maikon Leite. Fabão pode retornar à defesa: a última vez que entrou em campo foi na derrota por 4 a 1 para o Goiás e foi substituído ainda no primeiro tempo. O Inter nunca venceu o Santos na Vila e vai tentar com o time reserva.
Palpite: Santos.

Atlético-PR x Vitória: o Atlético vem se recuperando: fez 10 pontos nos últimos 4 jogos. Vai enfrentar o Vitória com seis desfalques. No 2º turno, o Furacão está melhor que o rival: fez 18 pontos contra 13 dos baianos. Ainda assim, a diferença entre as equipes é de 7 pontos. O Vitória venceu apenas 3 das 17 partidas fora de casa. A última delas há quase três meses. 2 a 1 contra o Figueirense.
Palpite: Atlético-PR

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Pinta de campeão

Não é o São Paulo. Não que o Tricolor não esteja, mas isso todo mundo já sabe. Quem na fase final está com aproveitamento parecido com o de campeão é o Atlético-PR, Fluminense, Vasco e Portuguesa. Na parte de baixo, a briga é grande entre os quatro mais Figueirense, Náutico e Ipatinga.

Nas últimas quatro rodadas, o Furacão fez 10 pontos, faltam mais quatro e se repetir o rendimento, não cai. O Vasco teve o mesmo aproveitamento: 10 pontos em 12. Melhor do que os dois, apenas o São Paulo que vem de quatro vitórias seguidas. O Fluminense conseguiu 10 pontos em 18 possíveis: só perdeu para o Cruzeiro e o clássico com o Vasco. A Portuguesa tem aproveitamento de 50% nas últimas seis rodadas: fez 9 pontos.

Em comparação com os concorrentes, essas equipes vão muito bem. O Figueirense, por exemplo, venceu 3 nos últimos 22 jogos. O Ipatinga é o único que não venceu fora de casa e fez 4 pontos em 21. O Náutico não perde há 5 partidas, mas só venceu duas vezes nas últimas 10 rodadas.
Dos sete times que brigam para não cair, Portuguesa e Fluminense tem aproveitamento de sexto colocado nos últimos jogos. Atlético-PR e Vasco foram melhores que Palmeiras, Cruzeiro, Grêmio e Flamengo nas últimas rodadas. Os outros concorrentes não tiveram aproveitamento nem de 35%. Se continuar assim, Ipatinga, Figueirense e Náutico vão cair, mas um desses que reagiram no final da competição vai para a série B. O que mostra que reagir no final pode ser tarde demais.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

34ª rodada: informações e palpites.

Vasco x Santos: antes de se enfrentarem, no primeiro turno, o Santos tinha 5 pontos a menos que o Vasco e só havia vencido duas vezes no campeonato. Hoje o time paulista tem 6 pontos de vantagem. Com Renato no comando, o Vasco não perde há três jogos. São 4 derrotas em oito partidas disputadas. O Santos só perdeu três vezes desde que Márcio Fernandes assumiu há 15 partidas.
Palpite: empate.

Figueirense x Atlético-PR: o Figueira ainda não venceu em casa sob o comando de Mário Sérgio. A equipe tem o pior aproveitamento como mandante no campeonato. Nas últimas 21 rodadas, apenas 3 vitórias catarinenses. Já o Atlético está no seu melhor momento no campeonato. Pela primeira vez fez 7 pontos seguidos e conseguiu seu primeiro empate fora de Curitiba há 10 dias contra o Vasco. Antes disso, fora do Paraná, apenas uma vitória sobre o Ipatinga.
Palpite: Figueirense

Portuguesa x São Paulo: a Lusa só perdeu no Carindé uma vez no campeonato – 2 a 1 para o Vitória. O time vem em sua melhor fase na competição com duas vitórias e três empates. Em casa, venceu Cruzeiro e Grêmio e empatou com o Flamengo (contra o Palmeiras os jogos foram no Pacaembu: 1x1 e 2x4). O São Paulo venceu oito e empatou 5 em trezes jogos. Só perdeu para o Grêmio no returno. Há 10 anos, o Tricolor perdeu para a Lusa por 7 a 2 no Carindé. Foi o jogo em que Rogério Ceni sofreu mais gols na carreira.
Palpite: empate.

Botafogo x Flamengo: o Botafogo empatou os 5 clássicos estaduais que disputou no Brasileirão. Apenas 3 gols marcados e 3 sofridos. Em 2008, enfrentou o Fla seis vezes: duas vitórias, três derrotas e um empate. Embora o jogo seja no Maracanã, o Flamengo é visitante. O time tem o melhor aproveitamento fora de casa com 24 pontos em 16 jogos. No primeiro turno, depois de empatar com o Botafogo, o rubro-negro caiu para 4º lugar pela primeira vez no campeonato.
Palpite: Flamengo.

Palmeiras x Grêmio: pela primeira vez no campeonato, o Palmeiras tem mais pontos que o rival. Jogando em São Paulo (incluindo um jogo no Morumbi, dois no Pacaembu e um na Vila Belmiro) o time paulista venceu 15 dos 19 jogos. No Parque Antártica foram dois empates e uma derrota em 15 jogos. Já o Grêmio perdeu quatro e empatou três das últimas sete partidas como visitante. No primeiro turno foram 5 vitórias longe do Olímpico, na segunda parte do campeonato, nenhuma até aqui. Pelo campeonato brasileiro, o Tricolor gaúcho só venceu uma vez no Palestra: em 2006 por 1 a 0.
Palpite: Palmeiras

Sport x Goiás: no primeiro turno o Sport surpreendeu em Goiânia e venceu por 2 a 1. O time pernambucano é o time a mais tempo sem vencer: 8 jogos. Nessa seqüência, não perdeu em casa: quatro empates. O Goiás derrotou o Cruzeiro na última semana e quebrou um jejum de 5 partidas sem vencer. O último triunfo fora de casa foi contra o Grêmio há dois meses. Romerito, sem condições físicas, não enfrenta a ex-equipe.
Palpite: Goiás

Coritiba x Náutico: o Coxa só perdeu duas em casa e o Timbú só venceu duas fora. O time paranaense pode voltar ao 6º lugar, sua melhor colocação depois da primeira rodada e onde já esteve três vezes. Nas contas do Náutico contra a série B, uma vitória fora de casa é indispensável: nas últimas 5 rodadas, joga três vezes fora (Coritiba, Figueirense e Santos). Se vencer as duas em casa (Cruzeiro e Atlético-PR), pode precisar de apenas um empate para se salvar.
Palpite: empate.

Cruzeiro x Fluminense: o time mineiro venceu as últimas quatro no Mineirão e não sofreu gols. Ramires volta ao time. O meia fez sua estréia pelo clube no ano passado, justamente contra o Fluminense. O Flu só perdeu para o Vasco sob o comando de Renê Simões. Fora de casa venceu o Atlético-PR e o Figueirense e empatou com o Vitória. O último jogo no Mineirão foi marcado por uma grave lesão de ligamentos no joelho do volante Léo Silva, até então titular do Cruzeiro. Charles entrou e não saiu mais do time.
Palpite: Cruzeiro

Vitória x Atlético-MG: o Vitória é o segundo pior time do 2º turno: apenas 13 pontos em 14 jogos. Marcou 11 gols, o pior ataque da metade final do campeonato. Juninho, goleiro do Atlético, vai enfrentar o ex-clube pela primeira vez. Com 41 pontos em 33 jogos, o Galo estaria empatado com o Corinthians na zona de rebaixamento. Em 2006, seria 15º. Há 9 anos, o Atlético venceu em Salvador por 3 a 0 e se classificou para a decisão do campeonato contra o Corinthians.
Palpite: empate.

Internacional x Ipatinga: se vencer e Botafogo e Coritiba tropeçarem, o Inter termina a rodada em sexto lugar. Até aqui, o Colorado foi no máximo 7º colocado. Com a classificação para a próxima fase da Sul-americana, Tite deve escalar o time reserva. Caso siga na competição, os titulares podem voltar a campo pelo Brasileiro apenas na última rodada. O Ipatinga tem 31 pontos, apenas 4 fora de casa. É o único time que ainda não venceu como visitante.
Palpite: empate.

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Invencibilidade de campeão

Os jogadores do São Paulo disseram após a vitória sobre o Internacional que a equipe busca superar o recorde de partidas invictas no campeonato brasileiro do ano passado. Em 2007 foram 16 partidas entre a derrota por 1 a 0 para o Fluminense em 18 de julho e novo 1 a 0 para o Flamengo no dia 4 de outubro.

Esse ano já são 13 jogos sem perder, com 8 vitórias e 5 empates, 29 pontos conquistados, 74%. Foram 23 gols marcados e 9 sofridos.

No ano anterior, o Tricolor conseguiu 14 vitórias e 2 empates, 44 pontos – 84% de aproveitamento. 35 gols marcados e 5 sofridos.

Mesmo que vença as próximas três partidas, o time de 2008 dificilmente vai superar o de 2007 e para chegar ao mesmo número de pontos do campeonato passado, o São Paulo precisa de vencer todos os jogos que restam.
Confira as seqüências de 2007 e 2008:

2007

Cruzeiro 1 x 2 São Paulo
São Paulo 3 x 1 Sport
América 0 x 1 São Paulo
São Paulo 3 x 1 Juventude
Grêmio 0 x 2 São Paulo
Botafogo 0 x 2 São Paulo
São Paulo
2 x 0 Atlético/PR
Goiás 0 x 0 São Paulo
São Paulo
5 x 0 Náutico
Palmeiras 0 x 1 São Paulo
São Paulo 6 x 0 Paraná
Atlético/MG 0 x 0 São Paulo
Vasco 0 x 2 São Paulo
São Paulo 2 x 1 Santos
São Paulo 2 x 0 Figueirense
Internacional 1 x 2 São Paulo

2008

São Paulo 3 x 1 Atlético/PR
Coritiba 2 x 2 São Paulo
São Paulo
0 x 0 Santos
Atlético/MG 1 x 1 São Paulo
São Paulo 2 x 0 Flamengo
Sport 0 x 0 São Paulo
São Paulo 2 x 0 Cruzeiro
Ipatinga1 x 3 São Paulo
São Paulo
1 x 0 Náutico
Palmeiras 2 x 2 São Paulo
São Paulo
2 x 1 Vitória
Botafogo 1 x 2 São Paulo
São Paulo 3 x 0 Internacional

Avaí, o melhor da série B.

Claro, sem contar o Corinthians que foi não só um clube, mas um time de série A disputando a segunda divisão, o Avaí é o melhor disparado do campeonato. É o time que mais venceu, que menos perdeu, tem o melhor ataque – fez 9 gols a mais que o Santo André – e a melhor defesa – sofreu 5 menos que o Bragantino.

Mais do que isso, o time de Santa Catarina, é o melhor da série B desde que o torneio começou a ser disputado em sistema de pontos corridos.

Avaí 2008: 33 jogos, 62 pontos. 63% de aproveitamento. 63 gols a favor e 31 contra.

Coritiba 2007: 33 jogos, 62 pontos. 63% de aproveitamento. 45 gols a favor e 33 contra.

Sport 2006: 33 jogos, 60 pontos. 61% de aproveitamento. 51 gols a favor e 28 contra.

Mesmo se o Figueirense for rebaixado, o Estado vai ter um representante na elite do futebol brasileiro e, pelo visto, ainda mais forte do que o rival.

sábado, 1 de novembro de 2008

33ª rodada: informações e palpites

Náutico x Vitória: confronto de duas equipes que vêm mal no segundo turno: o Náutico fez 12 e o Vitória apenas 13 pontos. No ano passado, na 32ª rodada, o Timbú já tinha 43 pontos, esse ano é a equipe há mais tempo sem vencer na competição: 7 jogos (ao lado do rival Sport) com quatro empates e três derrotas. Já os baianos tentam voltar a vencer fora de casa, o que aconteceu na 22ª rodada: 2 a 1 sobre o Figueirense.
Palpite: Náutico

Flamengo x Portuguesa: embora confie no Maracanã e na força da torcia para buscar o título, o Fla é apenas o sexto melhor time do campeonato quando joga em casa. Se vencer, reassume (pelo menos até domingo) a liderança da competição depois de 100 dias, ou um turno. Foi exatamente depois de empatar com a Lusa que o Fla perdeu o primeiro lugar. Apesar de vir num bom momento – duas vitórias e dois empates nos últimos quatro jogos – a Portuguesa só fez 5 pontos fora do Carindé. A única vitória foi em 21 de junho e no Rio de Janeiro: 1 a 0 sobre o Botafogo.
Palpite: Flamengo

Ipatinga x Coritiba: o time mineiro já está a 6 pontos de distância do primeiro time fora da zona de rebaixamento. Precisa vencer 5 dos 6 jogos que restam para se salvar. Ano passado, pela série B, o Tigre venceu no Vale do Aço por 1 a 0. O Coxa aposta na recuperação de Keirrison que não marca gols há 4 rodadas, ou quase um mês. O último foi na vitória sobre o Inter por 4 a 2 no Couto Pereira em 4 e outubro.
Palpite: empate

Atlético-MG x Botafogo: o Atlético não vence o rival há 7 anos ou 14 jogos. No Mineirão, o último trunfo mineiro aconteceu em 1996. Só esse ano foram cinco confrontos: 4 vitórias do Botafogo e um empate. 14 gols a favor e 3 contra. O momento das equipes é parecido: o Galo fez 4 pontos nas últimas seis partidas, o Fogo fez 7. Os mineiros têm quatro desfalques certos, os cariocas também e Nei Franco vai poupar alguns titulares.
Palpite: Atlético-MG

Santos x Palmeiras: apesar da diferença de 18 pontos na tabela, o Palmeiras fez só um ponto a mais no segundo turno. O time de Luxemburgo fez 9 pontos nos últimos seis jogos, aproveitamento igual ao do líder Grêmio, mas 7 pontos pior que o vice São Paulo. O Peixe já não perde na Vila há 7 jogos, são 5 vitórias e dois empates. O goleiro Marcos, do Palmeiras, pode não jogar devido à morte de seu pai. Ele atuou nos 32 jogos do campeonato.
Palpite: Santos

São Paulo x Internacional: o São Paulo conseguiu superar Grêmio e Botafogo na última quarta-feira ao derrotar o time carioca e chegar a maior invencibilidade do campeonato: 12 jogos. Os outros dois chegaram a 11. Ano passado, o Tricolor ficou dezesseis jogos sem perder e em 2006 foram doze, até acabar o campeonato. O Inter não vai ter quatro titulares, mas apenas D’Alessandro será poupado: Nilmar, Magrão e Índio não têm condições. Alex, cotado como melhor da competição, vai jogar.
Palpite: São Paulo

Goiás x Cruzeiro: o Goiás vem em má fase, não vence há 5 jogos, e o trio formado por Paulo Baier, Romerito e Iarley não vai ter Romerito. Antes disso, o time esmeraldino havia vencido cinco seguidas. O Cruzeiro pode superar o time de 2007 com uma vitória em Goiânia. Se perder, pode ficar fora do G-4 pela segunda vez no campeonato, a outra vez que isso aconteceu foi exatamente depois de perder para o Goiás: 1 a 0 no Mineirão, gol de Iarley cobrando falta.
Palpite: empate.

Fluminense x Vasco: no primeiro turno, o Flu chegou a estar perdendo por 3 a 1 e conseguiu a reação. Antes daquela partida, o Tricolor era 18º colocado e o Vasco o 12º. Ambos não venceram nenhum clássico nesse campeonato: três empates e duas derrotas conseguiram os vascaínos. Quatro empates e uma derrota obtiveram os tricolores.
Palpite: Fluminense

Grêmio x Figueirense: a maior goleada do campeonato aconteceu no primeiro turno: 7 a 1 para os gremistas que assumiram ali a liderança da competição. Depois disso, só não foi primeiro em duas rodadas, quando ficou em segundo, mas empatado em pontos com o Palmeiras. Uma derrota pode até mesmo tirar o Grêmio do G-4 onde está desde a quinta rodada. Com Mário Sérgio, o Figueira só venceu um em seis jogos. Uma derrota pode levar a equipe catarinense à zona de rebaixamento, onde nunca esteve nesse campeonato.
Palpite: Grêmio

Atlético-PR x Sport: o Atlético pode sair da zona de rebaixamento depois de quatro rodadas. Em 2007, na 32ª rodada, o Furacão já tinha 45 pontos. A equipe nunca perdeu para o Sport jogando em Curitiba. O time pernambucano não vence há sete jogos, com quatro pontos conquistados. Antes disso, vinha de três vitórias seguidas, a última de 5 a 0 sobre o Figueirense.
Palpite: Atlético-PR

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

O Guilherme que todos esperam

Ontem Guilherme voltou a mostrar que é sim diferenciado. A enfiada de bola para Wágner no primeiro gol, os passes em outras jogadas, a movimentação e o domínio de bola no terceiro gol do Cruzeiro. Possivelmente, o quarto artilheiro do campeonato fez contra o Grêmio seu melhor jogo como profissional.

O que mudou no centroavante? O fato de Guilherme não ser centro, e sim, avante. Quando recebe a bola sem estar enfiado entre dois ou três zagueiros, vira de frente para o gol e tem a passagem de outros jogadores para receber a bola no espaço que ele Guilherme abriu, o jovem mostra seu melhor futebol.

Vale lembrar que as melhores fases de Guilherme foram quando atuou como meia no ano passado, ou com Roni mais enfiado. Neste Brasileirão quando atuou com Rômulo que fica entre os defensores.

As principais qualidades de Guilherme são o passe e a visão de jogo. Precisa desenvolver mais a potência do chute, a movimentação para sair da marcação e o posicionamento. Mas o jogador tem 20 anos. Alex, o de 2003, foi soneca até os 25 quando Luxemburgo encontrou seu lugar para jogar.

Os bons momentos de Guilherme acontecem quando ele vem de trás, como segundo atacante, dialogando com os meias ou com o jogador mais avançado.

O show do Cruzeiro vale o mesmo dos suficientes São Paulo e Palmeiras

Apesar de ter feito ontem seu melhor jogo no campeonato e voltado a ficar a um ponto da liderança, é preciso lembrar que a vitória do Cruzeiro não valeu mais do que 3 pontos. Exatamente igual às vitórias de Palmeiras e São Paulo que não deram show e, inclusive, poderiam ter empatado suas partidas.

O time de Luxemburgo jogou mal e contou com duas grandes defesas de Marcos e um gol de pênalti para vencer sua partida. O São Paulo foi o mesmo de sempre, que é muito bom, e não fosse por um gol mal anulado do Botafogo poderia ter perdido dois pontos no Engenhão.
O Cruzeiro foi incontestável. Com 3 atacantes eliminou a sobra do Grêmio e contou com ótimas atuações de Marquinhos Paraná e Guilherme.

O Flamengo havia dado show contra o Coritiba e perdeu dois pontos na rodada seguinte. É o que não pode acontecer com o Cruzeiro se quiser ser campeão, pelo simples motivo que esse não é o tipo de coisa que acontece ao São Paulo, hoje, o principal adversário.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

32ª rodada: informações e palpites

Portuguesa x Ipatinga: A Portuguesa fez 9 jogos sob o comando de Estevam Soares e conquistou 10 pontos, 8 deles no Carindé. Nas últimas seis partidas apenas uma derrota da Lusa. Já o Ipatinga tem bom desempenho contra os times da parte de baixo da tabela: fez 14 pontos nos 10 jogos que disputou contra os seis últimos colocados (a excluir o próprio Ipatinga). O aproveitamento é de 47%, o que seria o suficiente para manter o time mineiro entre os 10 melhores do campeonato. O Tigre é a única equipe que ainda não venceu fora de casa.
Palpite: Portuguesa

Coritiba x Atlético-MG: as duas equipes fizeram 14 pontos no segundo turno. O Coxa caiu nos últimos 10 jogos: venceu apenas duas vezes. O Couto Pereira faz bem à equipe: só perdeu para o Grêmio e para o Botafogo e nos melhores momentos dessas equipes na competição. O Atlético venceu o Coritiba em 2006 quando estavam na série B. Depois de estar perdendo por 2 a 0, o Galo virou e se garantiu na primeira divisão do ano seguinte com duas rodadas de antecedência.
Palpite: Coritiba

Internacional x Náutico: o Inter dificilmente vai atingir a meta de chegar a Libertadores em 2009. Precisa vencer os 7 jogos restantes, mas o Colorado pode ajudar a decidir o campeonato: ainda joga contra quatro concorrentes ao rebaixamento (Náutico, Ipatinga, Fluminense e Figueirense) e dois concorrentes ao título (São Paulo e Cruzeiro). Já o Timbú não conseguiu reagir com Roberto Fernandes. Depois de um bom recomeço, os pernambucanos fizeram 3 pontos em seis jogos. É o 5º pior visitante o 5º pior time do segundo turno.
Palpite: Internacional

Palmeiras x Goiás: o Palmeiras não vence há três rodadas e o Goiás há quatro. O time de Luxemburgo só teve jejum assim uma vez no campeonato. A defesa que havia sofrido um gol em sete rodadas, tomou 5 em dois jogos. Sem Martinez, o Porco volta ao 4-4-2. Já os goianos foram líderes do segundo turno até a última rodada quando Flamengo e São Paulo lhe ultrapassaram. O time esmeraldino só venceu três vezes fora de casa, mas duas delas contra times da ponta: Cruzeiro e Grêmio.
Palpite: Palmeiras

Botafogo x São Paulo: o Botafogo ficou 11 jogos sem perder no campeonato e a seqüência começou logo após uma derrota para o São Paulo. Hoje, o Tricolor é o time mais tempo invicto na competição: também 11 rodadas. O Grêmio teve seqüência igual: e começou justamente depois de perder para o Botafogo. Botafogo e Grêmio fizeram 27 pontos e o São Paulo 23 nessa seqüência. Se for mantida a escrita, o São Paulo perde e ninguém fica 12 jogos sem perder até o final do Brasileirão.
Palpite: empate.

Cruzeiro x Grêmio: o Cruzeiro tem a melhor defesa como mandante, levou 8 gols. O Grêmio é dono do melhor ataque como visitante: fez 23. O Cruzeiro só fez 4 pontos nos confrontos contra os quatro primeiros (a excluir o próprio Cruzeiro) e tem 50% de aproveitamento contra equipes que jogam com três zagueiros. O Tricolor venceu 5 vezes fora do Olímpico e a última delas foi no Mineirão: 4 a 0 contra o Atlético-MG.
Palpite: Cruzeiro

Vasco x Atlético-PR: o time carioca tem o terceiro melhor ataque e a pior defesa da competição. Em casa, o time fez 21 dos 30 pontos que tem. Foi contra o Atlético-PR em 2004, que o Vasco se livrou do rebaixamento: venceu por 1 a 0. O Furacão venceu uma, empatou outra e perdeu as demais 13 partidas que fez fora da Arena, marcando apenas 5 gols. O rubro-negro ainda tem confrontos diretos contra Figueirense e Náutico e fora de casa. Para se salvar, precisa melhorar seu rendimento nessas partidas.
Palpite: Vasco

Vitória x Flamengo: no primeiro turno, a equipe baiana teve aproveitamento de 56% contra 33% na segunda parte do campeonato. A queda no rendimento da equipe coincide com a saída do atacante Dinei. Com ele a equipe fazia média de 1,6 gol/jogo. Sem Dinei a média cai para 0,9, quase a metade. Já o Flamengo quer descontar a vitória do rival no primeiro turno em pleno Maracanã. O Vitória terminou o 1º turno um ponto na frente do Fla e hoje o time carioca tem 11 de vantagem.
Palpite: empate.

Figueirense x Fluminense: o Figueira perdeu na última rodada a segunda partida sob o comando de Mário Sérgio que dirigiu a equipe em seis jogos. Em casa, dois empates e uma derrota. O Fluminense está invicto há 5 rodadas e com Renê Santana são duas vitórias e um empate com 8 gols marcados e só três sofridos. Ano passado, o time de Renato Gaúcho venceu a Copa do Brasil em cima do Figueirense de Mário Sérgio.
Palpite: Fluminense

Sport x Santos: o Sport estagnou e já não vence há seis partidas. Antes disso os pernambucanos chegaram a ficar cinco rodadas sem perder. Já o Santos vem se recuperando bem no segundo turno. Márcio Fernandes comandou o Peixe em 12 jogos com 22 pontos disputados. Aproveitamento próximo ao de Cruzeiro, Flamengo e Palmeiras que estão brigando pelo título.
Palpite: Santos.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Quem vai ser o campeão?

Quem vai ser o campeão? Em nenhum dos outros cinco campeonatos por pontos corridos tivemos 5 times separados por quatro pontos restando 7 rodadas para terminar a competição. Em quem você aposta?

Voltou a abrir vantagem de um jogo (não perde a liderança mesmo se for derrotado) e o São Paulo, pela primeira vez em 2008, é vice-líder. Embora seja ainda o time a ser batido, tem dois confrontos diretos fora de casa o que pode fazer a diferença. Por ter perdido a vantagem de oito pontos para o segundo colocado e sua dupla de volantes não estar jogando bem como antes, o Grêmio é menos candidato do que já foi.

Está invicto há 11 jogos. São 6 vitórias e 5 empates, mas enfrenta dificuldades contra equipes que não se expõem. Basta lembrar os confrontos contra Náutico, Vitória e Sport Recife. Nas últimas rodadas vai enfrentar exatamente equipes que atuam dessa maneira, a exceção de Botafogo e Inter, os próximos dois adversários.


Já mostrou força para buscar fora de casa pontos indispensáveis para se manter entre os líderes. Foi assim contra Vasco, Figueirense e Fluminense, mas peca nos confrontos diretos e ainda tem dois: Grêmio e Flamengo. O time é, de todos, o mais equilibrado e com menor poder de decisão. Se conseguir aliar regularidade com capacidade de decidir, vence o campeonato. Se perder a competitividade para enfrentar times da parte do meio e de baixo da tabela, não vai a Libertadores.

Tem a tabela mais difícil dentre os líderes: Palmeiras e Cruzeiro da parte de cima, clássico contra o Botafogo e Atlétitco-PR na última rodada e na Arena. Contra o Coritiba, o Fla voltou a jogar o futebol que não praticava há um turno: foi exatamente contra o Coxa que começou a série de 7 jogos sem vencer, após a saída de Marcinho.


Aparece como a maior incógnita: era o meu favorito até três rodadas, mas voltou a jogar muito mal como visitante: Náutico, Figueirense e Fluminense: fez dois pontos. Mais do que isso, o time mostrou que não tem a tranqüilidade que se imaginava na hora de decidir. Diferentemente de concorrentes como São Paulo e Cruzeiro, o Palmeiras não sabe conviver com desfalques. Perdeu quatro titulares para enfrentar o Fluminense e o time não aconteceu.

domingo, 19 de outubro de 2008

O clássico de um lado só.

O clássico de um time só não se restringe ao jogo desse domingo. Nos cinco confrontos desse ano, a exceção do primeiro, o Cruzeiro sempre foi superior. E hoje, pela 3ª vez pelo menos, a Raposa foi absolutamente melhor que o Atlético. O jogo começou a ser resolvido antes da bola rolar. Adilson acertou ao lançar Fernandinho que lançou, distribuiu, chutou, driblou e se movimentou como quis em campo. Teoricamente, o seu marcador seria Denílson que não se encontrou durante 45 minutos de puro desespero do alvinegro.
O outro meia, Ramires, não guardava posição. Hora pela direita, hora pela esquerda, hora como centroavante, ele deixava de ser referência para Serginho que não sabia se o acompanhava ou se guardava posição para ajudar Elton. Não fez uma coisa nem outra. Ramires teve liberdade e o lateral só teve a ajuda de Marques no primeiro tempo.
Estava anunciado que o gol do Cruzeiro sairia por ali e depois de Thiago Ribeiro bater duas vezes com perigo, mas para fora, Jonathan acertou.
No segundo tempo, o Atlético mudou a postura, ganhou posse de bola e passou a tentar atacar. Não conseguiu. Marcelo Oliveira ainda errou ao “inventar” Raphael Aguiar como lateral-esquerdo. O atacante perdeu todas para Thiago e o Cruzeiro só não definiu o jogo por ali porque Guilherme estava mal nas finalizações. O golpe de misericórdia veio quando a torcida gritava “olé” e o Cruzeiro penetrou na área como quis.
Aliás, durante os 90 minutos, o time de azul fez exatamente isso: o que quis.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Nada de Robin Hood

Ao contrário do que pensam seus torcedores de que o Cruzeiro vai bem contra os grandes e perde pontos preciosos contra os pequenos, em 2008 a Raposa fez a maioria de seus pontos contra as equipes da parte de baixo da tabela.

Entre o 1º e o 8º colocado (são sete adversários, levando em conta que o time é o 3º), o Cruzeiro jogou 11 vezes. Ganhou dois, empatou três e perdeu seis vezes. Juntando todos os outros 12 oponentes, foram apenas mais três derrotas.

Agora se olharmos para os últimos sete colocados, foram 10 partidas: 8 vitórias, um empate e uma derrota (para a Portuguesa).

Em 2207, a história foi diferente: no G-8, 14 jogos: oito vitórias, 5 derrotas e um empate. Entre os piores da competição, também 14 partidas: 6 vitórias, 5 derrotas e 3 empates.

Dos 9 jogos que ainda restam nesse campeonato, quatro serão contra equipes da parte de baixo (Atlético-PR, Fluminense, Náutico e Portuguesa). Três contra adversários que estão entre os melhores (Grêmio, Flamengo e Goiás) e outros dois jogos contra times da parte intermediária e que o Cruzeiro venceu no primeiro turno (Atlético-MG e Internacional).

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Enfim...Atlético

Enfim o Atlético-MG fez um grande jogo no ano de seu centenário. A torcida esperou 10 meses pela redenção e parte dela veio contra o Flamengo, segundo maior rival do clube, em um Maracanã lotado, colocando água em um chopp encomendado com muita antecedência pelos dirigentes rubro-negros.

O Atlético contrariou a si próprio: só havia marcado três gols fora de casa uma vez nesse campeonato e justamente em sua única vitória como visitante (contra o Santos 3x2). Em dois jogos o Galo teve dois gols de atacantes em uma única partida, contra o próprio Santos e o Atlético-PR. Foi o primeiro jogo fora do Mineirão que o alvinegro não sofreu gol.

Um time que se fechou bem, bloqueou Léo Moura com César Prates e Élton, bloqueou Íbson com Serginho e aproveitou os espaços deixados por Sambueza e Kléberson com Márcio Araújo e Renan Oliveira. Pedro Paulo pelos lados levava um zagueiro e Castillo prendia dois defensores centralizados, acabando com a sobra rubro-negra. O Atlético soube neutralizar as chegadas fortes do rival e se aproveitar da ansiedade do Flamengo para vencer o jogo. O placar poderia ter sido ainda mais elástico não fossem boas defesas de Bruno e a diminuição de ritmo no final da partida.

Resta saber se o que aconteceu no Maracanã foi um lampejo ou um início de reação nas últimas 10 rodadas, como aconteceu no ano passado. A prova virá no final de semana quando o Atlético pode ter o que lhe resta para se alegrar no centenário: bater o maior rival e eliminar mais um concorrente ao título.

sábado, 11 de outubro de 2008

Complemento da 29ª rodada: informações e palpites

Flamengo x Atlético-MG: no ano passado a reação do Atlético começou na 29ª rodada depois de um jogo contra o Flamengo. O Atlético empatou com o Grêmio no Sul e ficou invicto nas últimas 10 rodadas, conquistando 22 pontos. O Flamengo aposta no fator Maracanã-torcida para chegar ao título. Faz ainda 7 jogos no Rio. Ano passado, nas últimas sete partidas no estádio venceu seis e perdeu um. A última vitória do Galo no Maracanã aconteceu em 1985, gol do zagueiro uruguaio Oliveira.
Palpite: Flamengo

Portuguesa x Coritiba: a Portuguesa é o pior time do segundo turno. Só venceu uma vez em nove jogos. O Coxa fez 7 pontos nas últimas três partidas e Keirrison pode ser o único dos principais artilheiros a marcar na rodada: Kléber Pereira, Alex Mineiro e Guilherme passaram em branco. No primeiro turno, 4 a 0 para o Coritiba e K-9 marcou seu primeiro gol na competição. No Carindé, a Portuguesa venceu o rival em 8 dos 11 jogos disputados.
Palpite: Coritiba

Atlético-PR x Fluminense: nas próximas 10 rodadas, o Furacão vai jogar quatro vezes contra concorrentes diretos e o Fluminense é o único que vai à Arena. Vasco, Figueirense e Náutico vão receber o Atlético. Dos 28 pontos que o rubro-negro tem no campeonato, 24 foram conquistados em casa. O Flu venceu pela primeira vez nessa brasileirão justamente quando jogou contra o Atlético: 3 a 0 no primeiro turno. Já são 7 jogos seguidos sem vitória. O Tricolor carioca é o time que menos vezes venceu no campeonato: apenas seis.
Palpite: empate.

Goiás x Internacional: jogo de líderes do segundo turno – considerando o início da rodada. O Goiás fez 20 pontos e o Inter 16. Quem vencer, mantém vivas as chances de chegar ao G-4. O Colorado muda meio time: Gustavo Nery, D’Alessandro, Guiñazu e Alex não jogam por suspensão, contusão ou convocação para a seleção brasileira. Clemer foi barrado e Lauro estréia no gol. O Goiás conta com o trio ofensivo Paulo Baier, Iarley e Romerito: juntos marcaram 21 gols.
Palpite: Goiás

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

O Cruzeiro de 2008 é melhor que o de 2007

Enfim, o rendimento do Cruzeiro de 2008 é melhor do que o de 2007. Não que o time de Dorival Júnior tenha sido melhor o campeonato inteiro, longe disso. Ano passado a Raposa foi altamente irregular. Na mesma fase do campeonato, o Cruzeiro havia ficado no G-4 em 14 rodadas, nessa temporada são 28. O que me faz pensar que o time atual é melhor é ter passado a 29ª rodada de uma maneira bem diferente que no ano anterior.

Em 2007, o Cruzeiro perseguia o São Paulo com seis pontos de desvantagem até a 28ª rodada quando tinha dois jogos em casa: perdeu para o Figueirense, desanimou, foi derrotado para o Santos e depois só foi vencer na 35ª quando derrotou o Flamengo por 3 a 1. O time de Adilson levou alguns golpes no 2º turno e não se deixou abater: perdeu para o Coritiba e viu o Grêmio abrir 8 pontos na frente pela primeira vez. Depois perdeu dois confrontos diretos. Chegou a 28ª rodada, assim como no ano passado, com dois jogos em casa. Dessa vez, mostrou competitividade e venceu os dois. A diferença do Grêmio caiu para quatro.

A melhora da Raposa não garante ainda o sucesso de 2007 quando se classificou para a Libertadores com 60 pontos. O time vai passar dos 60, mas pode ficar de fora da competição se tiver um vacilo a mais que seus concorrentes. Para quem ainda pensa em título, o Cruzeiro ainda faz cinco jogos no Mineirão (Atlétic-MG, Grêmio, Fluminense, Flamengo e Portuguesa) e quatro jogos fora (Atlético-PR, Goiás, Internacional e Náutico). Se vencer sete dos nove jogos chega a 73 pontos e pode ser bicampeão nacional.

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

O Ipatinga do final dos jogos

O Ipatinga tem o segundo pior ataque do campeonato com 29 gols marcados. Se passar em branco contra o Cruzeiro vai atingir a média de 1 gol por partida. O time não marcou pelo menos um gol em 11 jogos nesse Brasileirão. Vários argumentos apontam para a fragilidade do setor ofensivo do Tigre, mas uma curiosidade: o Ipatinga é, ao lado do São Paulo, a equipe que mais marca gols no final das partidas. Quase metade dos gols da equipe mineira saíram após os 30 minutos do segundo tempo.

Foram 13, sendo que três valeram vitórias (2 contra o Fluminense e um contra o Internacional) e mais três valeram empates (contra Goiás, São Paulo e Santos). São 9 pontos conquistados dessa maneira. Os outros sete não interferiram diretamente no resultado das partidas. Quatro desses gols foram anotados por jogadores que saíram do banco de reservas. Adeílson, artilheiro da equipe com seis, marcou somente dois na primeira uma hora de jogo (contra Vasco e Atlético-MG).

O atual bicampeão brasileiro também marcou 13 gols nos últimos minutos. Venceu o Botafogo e o Cruzeiro (dois) e empatou com Atlético-PR, Palmeiras e Figueirense. Assim como o Ipatinga conquistou nove pontos. O artilheiro do "apagar das luzes" no Tricolor é Éder Luís que marcou todos os seus cinco gols no campeonato após os 30 minutos do segundo tempo. Cinco jogadores que não começaram jogando marcaram nesse período da partida.

Os motivos pelos quais os gols saem é que me parecem ser diferentes: enquanto o Ipatinga precisa se atirar desesperadamente contra seus adversários para buscar os resultados, enche o time de atacantes e conta certas vezes com o relaxamento dos rivais, o São Paulo é um time mais consciente, maduro, com bom preparo físico e opções no banco de reservas. Tanto que os 13 gols marcados pelo Tricolor representam 28% dos 46 marcados pela equipe em toda a competição. No Tigre, somam 45%.

29ª rodada: da turma de cima, só o Flamengo espera.

Grêmio x Santos: o Grêmio voltou a vencer depois de quatro rodadas e conta com o retorno de Tcheco. Quando se enfrentaram no 1º turno, o time gaúcho tinha 63% de aproveitamento, assim como tem hoje, mas já chegou a ter 73%. O Santos só venceu um jogo fora de casa e foi em Porto Alegre: 1 a 0 no Internacional, gol de Maikon Leite. Fábio Santos estréia na lateral-esquerda. Em 2003, ele estreou pelo São Paulo contra o Grêmio no Olímpico. Os paulistas venceram por 4 a 0.
Palpite: Grêmio

Figueirense x Palmeiras: confronto do melhor ataque contra a pior defesa. Do 5º melhor visitante contra o pior mandante. O Figueirense já sofreu 57 gols e o Palmeiras marcou 46. O time catarinense fez 18 pontos em 13 jogos em casa, o alviverde tem 16 pontos em 14 partidas fora do Palestra Itália. Mesmo com campanhas tão diferentes, o Figueira foi um dos dois times que tiraram pontos do rival em São Paulo (empate por 1 a 1) e vem de uma vitória e um empate fora de casa.
Palpite: Palmeiras

Sport x Vasco: jogo de história para o goleiro Magrão. Ano passado sofreu o milésimo gol de Romário, esse ano foi decisivo na disputa da vaga para a final da Copa do Brasil defendendo um pênalti em São Januário. Magrão sofreu apenas um gol nos últimos cinco jogos na Ilha do Retiro. O Vasco só marcou 9 vezes fora do Rio. O time conquistou apenas 1 dos últimos 21 pontos disputados.
Palpite: Sport

Cruzeiro x Ipatinga: o Cruzeiro venceu 11 dos 15 jogos que fez no Mineirão. Gérson Magrão vai enfrentar seu ex-clube pela 1ª vez, o jogador foi o autor do gol 99 da Raposa na temporada na partida contra o Sport. O Ipatinga é o único time do campeonato que ainda não venceu fora de casa. São apenas 3 empates e 13 derrotas como visitante. Se vencer, pode deixar a zona de rebaixamento depois de 23 rodadas.
Palpite: Cruzeiro

Botafogo x Vitória: duas equipes com a mesma pontuação, os baianos levam vantagem por terem um triunfo a mais. No primeiro turno, goleada baiana por 5 a 2, o que gerou a demissão de Geninho. Depois Ney Franco assumiu, a equipe chegou a ficar 11 jogos sem perder, mas nas últimas sete rodadas só derrotou o Coritiba. Segue o jejum: no máximo 1 gol marcado por jogo nos últimos 10 jogos. O Vitória jogou 14 vezes como visitante e não marcou gol em oito jogos.
Palpite: empate

São Paulo x Náutico: dos últimos 10 jogos que fez no Morumbi, o São Paulo só não venceu dois e justamente contra times da parte de baixo da tabela (Ipatinga e Santos). O time é o segundo melhor do campeonato quando joga em seus domínios. Rogério Ceni volta ao gol. Já o Náutico espera passar os jogos contra os times da parte de cima da tabela (enfrentou Palmeiras e Flamengo nas duas últimas rodadas) e definir sua permanência na série A nos confrontos diretos: enfrenta Portuguesa e Atlético-PR em casa e Santos e Figueirense fora. Hoje o Timbú é o 15º colocado com 30 pontos. Ano passado, depois de 29 rodadas, era o 14º com 36. Em 2007, seria o vice-lanterna.
Palpite: São Paulo

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Quem é o melhor?

Já escrevi aqui sobre os artilheiros do campeonato e dentre algumas variáveis quem é o melhor. O post dessa vez, além de atualizado, traz mais atacantes e com outros fatores. Pra você, quem é o melhor atacante do Brasil?

Kléber Pereira:
20 gols em 27 jogos disputados. Média de 0,74/jogo.
Marcou em 12 e não marcou em 15 jogos que entrou em campo. Marca gols em 44% dos jogos em que atua.
Foram 19 gols em casa e um gol como visitante.
O Santos tem 36 gols. Kléber Pereira marcou 55% do total da equipe.

Alex Mineiro:
17 gols em 26 jogos. Média de 0,65/jogo.
Marcou em 15 e não marcou em 11 jogou que entrou em campo. Marca gols em 58% dos jogos em que atua.
Foram 13 gols em casa e 3 como visitante.
O Palmeiras tem 46 gols. Alex Mineiro marcou 37% do total da equipe.

Keirrison:
16 gols em 21 jogos. Média de 0,76/jogo.
Marcou em 11 e não marcou em 10 jogos que entrou em campo. Marca gols em 52% dos jogos em que atua.
Foram 7 gols em casa e 9 como visitante,
O Coritiba tem 43 gols. Keirrison marcou 37% do total da equipe.

Guilherme:
15 gols em 23 jogos. Média de 0,65/jogo.
Marcou em 11 e não marcou em 12 jogos que entrou em campo. Marca gols em 48% dos jogos em que atua.
Foram 8 gols em casa e 7 como visitante.
O Cruzeiro tem 43 gols. Guilherme marcou 35% do total da equipe.

Washington:
14 gols em 18 jogos. Média de 0,77/jogo.
Marcou em 8 e não marcou em 10 jogos que entrou em campo. Marca gols em 44% dos jogos em que atua.
Foram 10 gols em casa e 4 como visitante.
O Fluminense tem 33 gols. Washington marcou 42% do total da equipe.

Nilmar:
13 gols em 24 jogos. Média de 0,54/jogo.
Marcou em 11 jogos e não marcou em 13 que entrou em campo. Marca gols em 46% dos jogos em que atua.
Foram 7 gols em casa e 6 gols como visitante.
O Internacional tem 36 gols. Nilmar marcou 36% do total da equipe.

O jogador que mais vezes balançou as redes adversárias foi Kléber Pereira com 20 gols. A melhor média de gols é a de Washington 0,77/jogo. No entanto, os dois são os que, em média, marcaram menos gols em jogos que atuaram 44%. Kléber Pereira é o atacante mais “caseiro” do campeonato. Fez 19 na Vila Belmiro e só um fora (contra o Palmeiras). Nilmar e Guilherme são os que mantêm o melhor desempenho em casa e fora. Keirrison é o único que marcou mais gols quando sua equipe jogou fora. Kléber fez sozinho mais gols que o time inteiro do Santos. Ele tem 55% do total de sua equipe. Nesse quesito, Guilherme tem o pior aproveitamento: 35%.

sábado, 4 de outubro de 2008

28ª rodada: complemento

Ipatinga x São Paulo: o Tigre já está invicto em casa há 2 meses. A última derrota foi para o Palmeiras em 3 de agosto. De lá pra cá são 13 pontos conquistados nos 15 em disputa. No São Paulo, a defesa que foi o ponto forte em 2007, voltou a funcionar: o Tricolor só sofreu um gol nos últimos 5 jogos. Fora de casa são apenas duas vitórias em 13 jogos.
Palpite: São Paulo.

Palmeiras x Atlético-MG: no ano passado os cruzeirenses torciam pelo Atlético nesse confronto e o Galo venceu por 3 a 1, colocando o maior rival na Libertadores. Esse ano a história se repete. O Palmeiras tem quase 90% de aproveitamento jogando em casa. Venceu 11 dos 13 jogos no Palestra Itália. O Atlético só venceu uma vez e já levou 30 gols como visitante.
Palpite: Palmeiras

Grêmio x Botafogo: jogo de duas equipes em queda. O Grêmio chegou a ficar 11 jogos invicto com 8 vitórias nesse período, mas já não vence há 4 jogos e perdeu a liderança depois de 13 rodadas. O Botafogo teve o mesmo desempenho do adversário: 11 jogos sem perder com 8 vitórias. Nos últimos 3 jogos fez apenas um ponto e pelo Brasileiro já são nove partidas sem marcar mais de um gol por jogo. O time carioca chegou a ficar no G-4 por seis rodadas seguidas, mas hoje é o oitavo.
Palpite: empate.

Santos x Atlético-PR: o Santos vinha se recuperando bem no segundo turno com 12 pontos em 21 disputados até que perdeu para o Goiás e empatou em casa com a Portuguesa. O Atlético-PR só não perdeu fora de casa duas vezes: na 1ª rodada quando venceu o Ipatinga e na última quando empatou o clássico com o Coritiba. O Furacão só marcou quatro gols fora da Arena.
Palpite: Santos

Náutico x Flamengo: em casa, o Náutico não perdeu para São Paulo, Palmeiras, Grêmio, Goiás, Botafogo e Internacional. 6 dos 10 primeiros. Dentre os que já enfrentou, só foi derrotado pelo Coritiba. O Flamengo é o 3º melhor visitante com quatro vitórias fora do Rio, a última delas foi contra o Figueirense há um mês. Antes disso, só em 29 de junho contra o Sport na Ilha. Josiel que ficou 3 jogos sem marcar dá lugar a Vandinho com dois gols em 5 partidas.
Palpite: Náutico

Vasco x Figueirense: confronto direto contra o rebaixamento. O Vasco é o lanterna, mas se vencer pode ganhar 5 posições, inclusive a do Figueirense. Já o Figueira pode ir a 32 pontos e se afastar em até 5 da zona de rebaixamento. No início da rodada, o confronto marcava o encontro das duas piores defesas do campeonato que juntas já levaram 108 gols.
Palpite: Vasco

Coritiba x Internacional: apenas um ponto separa as duas equipes na tabela. O Inter está na frente e venceu os últimos quatro jogos, culminando com uma goleada sobre o Grêmio. Se vencer, pode ganhar até quatro posições e chegar a um inédito sexto lugar em 2008. O Coxa pode parecer em queda no segundo turno, fez apenas 9 pontos. Mas nas oito primeiras rodadas do campeonato conquistou 10.
Palpite: Internacional

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

28ª rodada: primeiros jogos.

Fluminense x Goiás: confronto do lanterna do campeonato contra o líder do segundo turno. O Fluminense tem o pior aproveitamento de pontos como mandante: 45%. Há um turno atrás, quando terminou a Libertadores, o Flu enfrentou o Goiás e já era lanterna na época com 3 pontos. O Goiás tinha 6. A diferença hoje chega a 16 pontos. O Goiás não tem seu artilheiro: Paulo Baier está suspenso. O Flu volta a contar com o seu goleador: Washington retorna.
Palpite: Goiás

Cruzeiro x Sport: O Cruzeiro não venceu em casa as duas últimas partidas que fez. Contra times que jogam no 3-5-2, caso do Sport, foram 12 partidas e apenas 4 vitórias. O time de Recife venceu como visitante o Náutico, o Goiás e o Palmeiras. Cada equipe tem três desfalques para o confronto: do lado dos mineiros Jadilson, Marquinhos Paraná e Wagner. Do lado dos pernambucanos Durval, Junior Maranhão e Kássio.
Palpite: Cruzeiro

Vitória x Portuguesa: no primeiro turno, a Portuguesa marcou o gol mais rápido do futebol brasileiro sem ter saído com a bola. Foram 9 segundos. Depois que o atacante Dinei foi negociado, o ataque do Vitória vem mal. Foram oito jogos e apenas quatro gols. A baixa ofensiva confirma a queda da equipe que é a quarta pior do segundo turno. A Lusa tem a terceira pior defesa do campeonato, mas fora de casa ninguém sofreu tantos gols como a Portuguesa: foram 34.
Palpite: Vitória.


Mais próximo do final de semana, posto o restante da rodada.

O ataque do Atlético segue impressionando

Já escrevi aqui algumas vezes sobre o fraco desempenho dos atacantes do Atlético em 2008. Depois de não marcar gol na pior defesa do campeonato brasileiro, que só havia saído invicta de campo em três oportunidades, a fragilidade do setor voltou a chamar a atenção. Embora o time tenha o 10º melhor (ou pior) ataque do torneio, o Atlético tem o "pior" artilheiro da Série A. Marques e Petkovic, os goleadores do time, marcaram 4 gols cada um. Todas as outras 19 equipes têm pelo menos um jogador que marcaram mais vezes. O que pesa a favor do alvinegro, é a rotatividade de quem faz gol: é o time que teve maior número de jogadores balançando as redes adversárias. Confira:

Atlético-MG: Marques e Petkovic 4 gols. 19 jogadores marcaram.
Atlético-PR: Alan Bahia 6 gols. 15 jogadores marcaram.
Botafogo: Lúcio Flávio 6 gols. 12 jogadores marcaram.
Coritiba: Keirisson: 14 gols. 15 jogadores marcaram.
Cruzeiro: Guilherme 15 gols. 16 jogadores marcaram.
Figueirense: Cleiton Xavier 8 gols. 13 jogadores marcaram.
Flamengo: Marcinho 7 gols. 16 jogadores marcaram.
Fluminense: Washington 14 gols. 10 jogadores marcaram.
Goiás: Paulo Baier 8 gols. 11 jogadores marcaram.
Grêmio: Perea 8 gols. 15 jogadores marcaram.
Ipatinga: Adeilson 8 gols. 14 jogadores marcaram.
Internacional: Nilmar 12 gols. 9 jogadores marcaram.
Náutico: Felipe 6 gols. 14 jogadores marcaram.
Palmeiras: Alex Mineiro 16 gols. 13 jogadores marcaram.
Portuguesa: Edno e Diogo 6 gols. 13 jogadores marcaram.
Santos: Kleber Pereira 19 gols. 10 jogadores marcaram.
São Paulo: Hugo 10 gols. 13 jogadores marcaram.
Sport: Roger 9 gols. 12 jogadores marcaram.
Vasco: Edmundo 9 gols. 14 jogadores marcaram.
Vitória: Dinei 8 gols. 11 jogadores marcaram.

Em 18 dos 27 jogos no campeonato, o Atlético fez um ou nenhum gol.

Com 36 gols, tem o 10º melhor ataque do Brasileirão.
Ano passado foram 63, o 3º melhor da competição.

O Atlético já utilizou 12 jogadores no ataque: Danilinho, Marques, Vanderlei, Marinho, Jael, Eduardo, Castillo, Almir, Rafael Aguiar, Beto, Pedro Paulo e Lenilson. Somando os gols de todos não chegam a Kleber Pereira. Os atacantes do Galo fizeram 17 e o artilheiro da competição, sozinho, marcou 19.

Coelho é o terceiro goleador da equipe com 3 gols marcados. A última partida do jogador foi em 22 de junho, contra o Náutico. Já se vão mais de 3 meses.

Por que tantos jogadores fazem gols? Podem ser dois motivos: o primeiro, que eu não percebo, é uma grande variação de jogadas e jogadores da frente que abrem espaço pra quem chega de trás. O outro, é a falta de um padrão de jogo e de jogadas definidas. Os gols saem mais pela vontade dos atletas em atacar os adversários do que por organização.

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Marcelo Oliveira = Alexandre Gallo = Zetti

Os números de Marcelo Oliveira a frente do Atlético, desde que foi efetivado, são os seguintes: 16 pontos conquistados em 13 jogos (contando a Copa Sulamericana). Foram 19 gols a favor e 23 contra. Com Alexandre Gallo no comando foram 14 jogos e também 16 pontos. 18 gols pró e 23 contra. Ano passado, Zetti comandou o Atlético em 13 partidas e também conquistou 16 pontos.

A diferença fundamental é que Marcelo Oliveira não vai ser demitido como os outros foram. Até porque o Atlético não tem quem faça isso hoje. Ele vai ter mais tempo. Tempo que Leão teve no ano passado. Em 14 jogos, ele foi pior que os três. Conseguiu apenas 14 pontos. Na reação que começou contra o Grêmio em Porto Alegre, conseguiu 22 pontos dos 30 disputados. O melhor time do campeonato nas últimas 10 rodadas.

Resta saber se o Atlético consiguirá algo parecido nos últimos 11 jogos. Pelo menos o suficiente para não ser rebaixado.

Eu sigo acreditando que o time não cai, mas vale lembrar que ano passado o Corinthians tinha na 26ª rodada 33 pontos (assim como o Atlético tinha esse ano) e terminou rebaixado com 44. A diferença é que no ano passado, na mesma rodada o Náutico era o primeiro rebaixado com 30 pontos. O rendimento se manteve até o final do campeonato, o Corinthians teve 39% e caiu. Em 2008, o Vasco, primeiro time da zona de rebaixamento, fez 26 pontos em 26 jogos. 33%. Em tese, com 40 pontos um time pode se salvar.

Fazendo um ponto por jogo em média, o Atlético se salva da série B.

Aí o Adilson resolveu inventar....

A manchete do Estado de Minas dessa segunda-feira traz claramente quem é o vilão da derrota do Cruzeiro no Morumbi. Mas qual foi a culpa de Adilson? Eu também não entendi a entrada de Maurinho no lugar de Thiago Ribeiro. Não deu tempo. Um minuto depois o Cruzeiro levou um gol de cabeça, jogada que o São Paulo vinha explorando desde o início da partida e a defesa sempre levou desvantagem. O Cruzeiro levria o gol de cabeça e depois o gol de falta com ou sem Thiago Ribeiro no time.

A intenção de Adilson talvez fosse adiantar Wagner, que vinha sendo muito bem marcado por Jean, e evitar o contato dos dois. Maurinho iria prender Jorge Wagner na defesa e evitar a maioria dos cruzamentos do São Paulo. A entrada do lateral resolveria o problema da bola alçada e ainda seria uma arma para os contra-ataques. A idéia, se fosse essa, parecia ser boa, não fosse o gol de André Dias um minuto depois.

Acredito que a derrota do Cruzeiro se deu mais pela falha de marcação no jogo aéreo do que na mudança do treinador. 10 dos 31 gols que o Cruzeiro sofreu no campeonato foram de cabeça. Talvez aí esteja a culpa do treinador e de seu auxiliar Ivair Júnior que faz trabalhos específicos com o sistema defensivo. Não se pode deixar de considerar, no entanto, que o técnico não pode controlar o jogador dentro de campo. Se Fabrício, que marcava André Dias nas bolas paradas, conseguiu anular o adversário em todos os lances, mas chegou atrasado em um, esse um foi o suficiente pro gol.

Assim como é costume no futebol algumas “muletas” de comentaristas que na dúvida dizem que “é preciso jogar pelas laterais”, que “é preciso arriscar mais de fora da área”, que “o time não pode se intimidar com o adversário e precisa ir pra cima de qualquer maneira”, virou “muleta” criticar Adilson por toda e qualquer derrota do Cruzeiro.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

27ª rodada: mudança de líder a vista.

Atlético-MG x Figueirense: no ano passado, o Atlético tinha um ponto a menos depois de 26 jogos e terminou a competição com 55 pontos conquistados. O Corinthians que tinha 33 foi rebaixado. Mesmo vencendo ou perdendo, o Galo vai terminar a rodada em 12º lugar. O jogo é especial para Juninho que volta ao gol depois de exatamente um turno e Serginho que virou titular no jogo do turno em Florianópolis. Já o Figueirense perdeu os últimos seis jogos que disputou.com 19 gols sofridos. Fora de casa são 2 vitórias em 13 jogos.
Palpite: Atlético-MG

Flamengo x Sport: O Sport vem no seu melhor momento no campeonato: 4 vitórias e dois empates nos últimos seis jogos. A defesa sofreu apenas dois gols nos últimos 7 jogos. O Flamengo aposta, para ser campeão ou chegar a Libertadores, na força do Maracanã onde vai jogar 8 dos seus últimos 12 jogos, mas é apenas o 10º melhor mandante da competição.
Palpite: empate.

Goiás x Vitória: os baianos têm um ponto a mais na tabela, mas o momento das equipes é bem diferente: o Vitória só não esteve entre os 10 primeiros em duas rodadas. Já o Goiás entrou no “G-10” pela primeira vez no último final de semana. O time verde e branco é o melhor do segundo turno com 16 dos 21 pontos conquistados. O Vitória fez a metade.
Palpite: Goiás

Ipatinga x Vasco: se o Ipatinga vencer ultrapassa o próprio Vasco e pode ganhar também as posições da Portuguesa (enfrenta o Santos na Vila) e do Fluminense (tem clássico com o Botafogo), mas ainda não sai da zona de rebaixamento porque tem 12 gols a menos no saldo que o Atlético-PR. Dentro de casa o Ipatinga fez 21 dos 24 pontos que tem no campeonato. Fora de São Januário, o Vasco só venceu a Portuguesa. O time carioca entrou pela primeira vez na zona de rebaixamento há duas rodadas. Foi no Ipatingão o último jogo de Renato Gaúcho, hoje no Vasco, como técnico do Fluminense. Os cariocas perderam por 2 a 1.
Palpite: Ipatinga

Coritiba x Atlético-PR: quando se enfrentaram no primeiro turno, o Coxa tinha um ponto a mais na tabela. Em 19 jogos, a diferença subiu para 13 pontos. O Atlético já esteve na zona de rebaixamento por duas vezes e só venceu fora de casa na primeira rodada, quando ainda era treinado por Nei Franco. O Coxa está entre os 10 primeiros desde a 10ª rodada e só perdeu em casa duas vezes na competição.
Palpite: Coritiba

Náutico x Palmeiras: no primeiro turno, o Palmeiras venceu por 2 a 0 com dois gols irregulares. Com Roberto Fernandes, o Timbú venceu 5 (contando as duas primeiras rodadas, antes de ir para o Atlético-PR), empatou 2 e perdeu 3 jogos. O aproveitamento em 10 jogos deixaria os pernambucanos em 4º lugar. O Palmeiras vem se recuperando fora de casa. Das quatro vitórias que tem, três são contra equipes da zona de risco: Ipatinga, Vasco e Atlético-PR. Há 2 semanas venceu o Cruzeiro. O Palmeiras fez a diferença nas últimas seis rodadas: fez 12 dos 18 pontos que disputou. O Grêmio fez 6 e o Cruzeiro 7.
Palpite: Palmeiras

São Paulo x Cruzeiro: o Tricolor é o líder dos confrontos diretos (jogos entre Grêmio, Palmeiras, Cruzeiro, Flamengo, São Paulo e Botafogo) com 13 pontos em 21 conquistados. O Cruzeiro fez 7. O time paulista não vai ter Miranda. Com as saídas de Breno e Alex Silva, o trio defensivo do ano passado está desfeito. Na 26ª rodada em 2007, o São Paulo havia sofrido 8 gols, esse ano são 26. O Cruzeiro de 2008 está a dois gols de marcar o 100º na temporada. No Brasileirão são 42. A essa altura no ano passado já eram 61. Em compensação a defesa atual sofreu 28 e a do ano passado havia levado 44.
Palpite: empate.

Botafogo x Fluminense: o Botafogo não marca mais do que um gol por jogo desde o dia 7 de agosto, contando apenas o campeonato brasileiro. São oito partidas com quatro vitórias, dois empates e nas duas últimas rodadas, derrotas. O alvinegro empatou os quatro clássicos que disputou na competição. Do lado do Fluminense, um velho conhecido dos botafoguenses: Cuca. O treinador já comandou o Tricolor em 7 jogos com duas vitórias nos dois primeiros jogos, depois três empates e por último duas derrotas. O Flu esteve em 22 rodadas na zona de rebaixamento, só o Ipatinga ficou mais tempo entre os quatro últimos.
Palpite: empate.

Santos x Portuguesa: na última rodada, o Santos voltou a perder depois de seis jogos. A Portuguesa fez exatamente o contrário: os 3 a 1 no Botafogo quebraram um jejum de seis rodadas. No primeiro turno, a Lusa vinha de três vitórias seguidas, empatou em 0 a 0 e depois disso foi vencer uma vez nos sete jogos seguintes. Kléber Pereira, artilheiro do campeonato, marcou 17 vezes na Vila. No total, são 18 gols.
Palpite: Santos

Internacional x Grêmio: o Grêmio fez 6 pontos nos últimos 6 jogos. O Inter fez 13 e vem de três vitórias seguidas. Esse ano os três Gre-nais terminaram empatados. Dois na Sul-americana e um no Brasileiro. O Grêmio é líder desde a 14ª rodada e se não vencer pode cair para segundo. O Inter é o 12º, mas pode ser sétimo se vencer. Sua melhor colocação no campeonato e que alcançou em apenas duas rodadas.
Palpite: empate.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Os confrontos diretos: Cruzeiro enfrenta o "líder" das finais.

Já postei aqui uma vez um tópico parecido, mas na parte final do primeiro turno, apostava no Internacional como um dos times que chegariam a brigar pelo título. Refiz a relação dos confrontos diretos substituindo o Inter pelo Botafogo que já esteve melhor, mas ainda assim está a um ponto de São Paulo e Flamengo e se eles são incluídos entre os favoritos, não dá pra tirar o time de Geninho.

No domingo, o Cruzeiro, que é o segundo pior nos confrontos diretos, enfrenta o São Paulo, "líder" dessa competição paralela que pode fazer a diferença no final. Tanto faz, que o Grêmio tem quatro pontos a mais que o time mineiro na tabela, justamente 4 pontos a mais que conseguiu nos 7 jogos que fez contra os primeiros colocados.

Confira os confrontos e a classificação:

Cruzeiro

Cruzeiro 1 x 0 Botafogo
Palmeiras 5 x 2 Cruzeiro
Cruzeiro 1 x 1 São Paulo
Grêmio 1 x 0 Cruzeiro
Flamengo 1 x 2 Cruzeiro
Botafogo 1 x 0 Cruzeiro
Cruzeiro 0 x 1 Palmeiras

Falta: São Paulo x Cruzeiro, Cruzeiro x Grêmio e Cruzeiro x Flamengo

São Paulo

São Paulo 0 x 1 Grêmio
Flamengo 2 x 4 São Paulo
Cruzeiro 1 x 1 São Paulo
São Paulo 3 x 1 Palmeiras
São Paulo 2 x 1 Botafogo
Grêmio 1 x 0 São Paulo
São Paulo 2 x 0 Flamengo

Falta: São Paulo x Cruzeiro, Palmeiras x São Paulo e Botafogo x São Paulo

Palmeiras

Palmeiras 5 x 2 Cruzeiro
São Paulo 3 x 1 Palmeiras
Palmeiras 1 x 0 Flamengo
Botafogo 1 x 0 Palmeiras
Grêmio 1 x 1 Palmeiras
Cruzeiro 0 x 1 Palmeiras

Falta: Palmeiras x São Paulo, Flamengo x Palmeiras, Palmeiras x Botafogo e Palmeiras x Grêmio

Flamengo

Grêmio 0 x 0 Flamengo
Flamengo 2 x 4 São Paulo
Flamengo 1 x 2 Cruzeiro
Palmeiras 1 x 0 Flamengo
Flamengo 0 x 0 Botafogo
Flamengo 2 x 1 Grêmio
São Paulo 2 x 0 Flamengo

Falta: Cruzeiro x Flamengo, Flamengo x Palmeiras e Botafogo x Flamengo

Grêmio

São Paulo 0 x 1 Grêmio
Grêmio 0 x 0 Flamengo
Botafogo 2 x 0 Grêmio
Grêmio 1 x 0 Cruzeiro
Grêmio 1 x 1 Palmeiras
Grêmio 1 x 0 São Paulo
Flamengo 2 x 1 Grêmio

Falta: Grêmio x Botafogo, Cruzeiro x Grêmio e Palmeiras x Grêmio

Botafogo

Cruzeiro 1 x 0 Botafogo
Botafogo 2 x 0 Grêmio
São Paulo 2 x 1 Botafogo
Flamengo 0 x 0 Botafogo
Botafogo 1 x 0 Palmeiras
Botafogo 1 x 0 Cruzeiro

Falta: Grêmio x Botafogo, Botafogo x São Paulo, Botafogo x Flamengo e Palmeiras x Botafogo

Classificação

1º - São Paulo 62% - 13 pontos ganhos em 21 disputados.
2º - Palmeiras e Botafogo 55% - 10 pontos em 18 disputados
4º - Grêmio 52% - 11 pontos em 21 disputados
5º - Cruzeiro 33% - 7 pontos em 21 disputados
6º - Flamengo 24% - 5 pontos em 21 disputados

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Que diferença faz um atacante.

Depois de tentar Jajá, Weldon, Wanderlei, Rômulo, Jonathas, Gérson Magrão, Reinaldo Alagoano, Fabinho, Camilo e Wágner o Cruzeiro encontrou seu atacante para jogar ao lado de Guilherme: Thiago Ribeiro.

No jogo contra o Figueirense Thiago mostrou velocidade, fez pivô, finalizou, deu passes, se movimentou e abriu espaços. Fez tudo o que nenhum outro havia feito: completou o futebol de Wágner e Guilherme. Ficou claro que sem Thiago o Cruzeiro não teria conseguido vencer o time catarinense. O time mostrou poder de reação e definição.

Para a parte final do campeonato o Cruzeiro tem um trunfo que nenhuma outra equipe tem: um jogador que entra num time arrumado. Com Thiago em boa fase, o título pode não estar tão longe como parecia após o jogo contra o Palmeiras.

O Furacão precisa mudar para não cair.

O Atlético Paranaense passa por dificuldades para se mantér na Série A. O rubro-negro tem uma dura missão pelos confrontos que sua equipe tem até o final do campeonato: o Furacão tem quatro de seus cinco confrontos diretos fora de casa. Santos, Vasco, Figueirense e Náutico. Só o Fluminense vai a Arena. Se os adversários fora são da parte de baixo da tabela, em Curitiba o time de Geninho recebe equipes fortes como Cruzeiro, Botafogo, Internacional e Flamengo além do clássico contra o Coxa na próxima rodada.

Vale lembrar que fora de casa o Atlético venceu um e perdeu onze jogos. Ou passa a vencer fora de casa ou vai experimentar, três anos depois, o gosto do rebaixamento sentido pelo Coritiba.

Campeonato em três blocos

O campeonato que já teve quatro blocos, agora tem três. No primeiro deles, pode-se fazer uma subdivisão. Dos cinco primeiro colocados só o Grêmio não era favorito no início. Do sexo ao 11o a briga é para vencer o maior número de pontos possíveis e no final, torcer para ser o suficiente para se chegar à Libertadores. Dos emergentes, Botafogo, Internacional e Coritiba são os que me parecem mais fortes, embora estejam em momentos diferentes: o Botafogo demonstre uma queda de rendimento com apenas uma vitória nos últimos cinco jogos. O Internacional venceu as últimas três e o Coritiba é o mais regular.

No segundo bloco está o Atlético-MG. Sozinho. Só daqui a três rodadas pode subir na tabela, e mesmo assim, se fizer pelo menos 7 pontos. Por outro lado, não perde nenhuma posição caso perca o próximo jogo.

O terceiro bloco é o do desespero. Santos e Náutico que me parecem mais organizados, apesar dos maus resultados do final de semana, e o Fluminense pelas peças que tem não acredito que caiam. Ipatinga, Portuguesa, Vasco, Figueirense e Atlético Paranaense disputam as quatro vagas que ninguém quer.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Ziza deixa o Atlético

Em meio a tantos documentos, suposições, acusações, defesas e interesses fica difícil opinar sobre a saída de Ziza da presidência do Atlético. Pelo que tenho de concreto, o ex-presidente não lucrava com venda de jogadores, não recebia dinheiro de Ricardo Guimarães e não fazia do Atlético uma lavanderia de dinheiro. Até que provem o contrário, devo acreditar nessa versão.

Alheio então a possível corrupção, a analise que faço do trabalho é positiva e o clube tem a perder com a saída de Ziza. Ele com certeza errou na gestão do futebol, até porque não teve homens capacitados para assessorá-lo nesse setor que é o mais importante do clube. No segundo mais importante, que talvez fosse a prioridade no momento, o presidente esteve bem. Re-negociou várias dívidas, pagou ações trabalhistas e manteve salários em dia. A algum tempo isso não acontecia no Atlético.

O sucessor vai ter que continuar fazendo esse trabalho, provavelmente terá que encarar o conselho e a torcida que estavam contra Ziza e principalmente: vai ter que dar um jeito no futebol, a começar por dar um basta em contratações numerosas e de pouco critério.

O pecado do Cruzeiro

Todos vão concordar e é óbvio que o Cruzeiro demorou para repor a saída de Marcelo Moreno. Thiago Ribeiro estreou na sexta rodada do segundo turno, Moreno foi negociado depois do primeiro jogo da competição. Adilson Batista justificou a demora por dificuldades financeiras que o Cruzeiro enfrentou em 2008. De toda forma, os times que brigam com o Cruzeiro pelo título fizeram com mais rapidez a reposição das peças perdidas.

O Grêmio perdeu Roger para o Qatar e embora tenha sido surpreendido, três rodadas depois já tinha Tcheco em campo e o time até melhorou.

O São Paulo contava com as saídas de Alex Silva e Miranda e contratou Anderson e Rodrigo. Miranda acabou ficando.

O Palmeiras perdeu Valdivia, mas já tinha o substituto no próprio elenco: Diego Souza foi adiantado e o time passou a ser mais competitivo, tanto que venceus duas das três que jogou fora de casa. No primeiro turno inteiro o Palmeiras venceu duas como visitante.

Quem também demorou a repor suas baixas foi o Flamengo: Marcinho, Renato Augusto e Souza foram negociados e quase 10 rodadas depois o time contratou Marcelinho Paraíba, Sambueza, Josiel, Éverton e Vandinho.

O prejuízo do Cruzeiro pode ser maior do que financeiro. A seis pontos do líder, acredito que se contasse com um atacante de qualidade para jogar com Guilherme e Wágner desde o início da competição, a Raposa teria mais pontos. Vale lembrar ainda que a saída de Charles não significa contratação de outro volante. Adilson e diretoria acreditam que Henrique e Marquinhos Paraná tenham condições de fazer o que o jovem fazia. Não têm. Não fazem a saída de bola com a mesma qualidade, não têm o mesmo vigor na marcação e não finalizam bem de média e longa distância.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

25ª rodada: pra mim, só aumentaram as indefinições

O que esperava-se na rodada do final de semana era uma polarização da briga pelo título e manutenção de derrotas na parte de baixo da tabela. O que se viu foi algo diferente: a vitória do Goiás sobre o Grêmio (que venceu um dos últimos cinco jogos que disputou e não marcou gols nas duas últimas partidas) evidenciou queda de rendimento da equipe gaúcha que já vinha sendo percebida dentro de campo há algum tempo. Não sei ainda se o Grêmio cai definitivamente - é um receio que sempre existe com times do Celso Roth - ou se é apenas uma fase como passaram todos os times da parte de cima da tabela.

No Mineirão, o Palmeiras mostrou competitividade para vencer o Cruzeiro que não venceu o bloqueio armado por Luxemburgo. O treinador parou a velocidade dos mineiros armando uma linha com três jogadores na saída de bola, quatro mais atrás protegendo os três zagueiros. Os melhores momentos do Cruzeiro aconteceram quando o time conseguiu jogar entre os zagueiros e a linha de 4, mas quem melhor faz isso, Ramires, esteve mal por não estar 100%. O Palmeiras me pareceu definitivamente na briga pelo título, enquanto o Cruzeiro, que só fez 7 pontos nos 21 disputados em confrontos diretos, segue pecando nos momentos de decisão.

As vitórias de Atlético-PR, Santos e Náutico elevam o pelotão de baixo, mas exceto o Santos não vejo força nos outros para seguir se recuperando. O time da Vila parece que não vai mesmo cair.

Já o Atlético Mineiro perdeu para o Ipatinga e aproveitou para se perder em campo. Tem agora dois jogos em casa e tem que vencer, porque o fantasma do rebaixamento (que pra mim ainda não rondou a Cidade do Galo) pode assombrar: depois do Figueirense o time enfrenta Palmeiras e Flamengo (fora), Cruzeiro e Inter (casa), Coritiba (fora), Botafogo (casa) e Vitória (fora). Depois dessa sequência dificílima e longa - 7 partidas - só vão restar quatro jogos para acabar o campeonato, e entre eles Sport e Grêmio fora de casa.

Para concluir: PC Gusmão não é mais técnico do Figueirense. São agora 24 técnicos trocados em 25 rodadas. A média caiu e não é mais 1 técnico/ rodada, mas ainda é incrivelmente alta.

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

A pancada no Ziza

Em entrevista ao programa Jogada de Classe, o presidente do Atlético, Ziza Valadares, revelou que nos próximos dias virá "uma pancada" para o clube. O presidente teve que administrar em seu mandato várias situações parecidas como dívidas trabalhistas, além de ter que montar um time competitivo para o ano do Centenário. O Atlético teve a sede lavada, depredada e Ziza é o maior alvo das críticas da torcida que poucas vezes na história esteve tão descrente com a campanha de sua equipe. Só em 2008, o que era pra ser o ano mais festivo da história do Atlético, foram seis goleadas sofridas.

Essa pancada, segundo o próprio dirigente, é de proporções maiores do que tudo isso. Ziza Valadares não revelou nomes nem valores e disse apenas que fará tudo o que for possível para resolver mais essa questão. A crise dessa vez se trata de uma dívida adquirida no início dos anos 2000, quando o clube era administrado por Nélio Brant e tinha como homem forte no futebol Alexandre Kalil. Nesse período o Atlético contou com o empréstimo de um grupo de empresários para renovar os contratos de Guilherme, Veloso, Caçapa, entre outros.

O valor da dívida atual chega a 21 milhões de reais.

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Quem perde mais?

De um lado, Jéci, Pierre, Alex Mineiro e Kléber. Do outro, Thiago Heleno, Jadilson, Marquinhos Paraná e Guilherme. Quem perde mais no confronto que vale a vida de Cruzeiro e Palmeiras no campeonato?

Alex Mineiro fez 40% dos gols alvi-verdes no Brasileirão, Guilherme fez 33% do total da Raposa. Sem Kléber, Luxemburgo prepara o time só com Lenny na frente e Diego Souza e Evandro se aproximando. Adilson vai lançar Thiago Ribeiro que ainda não consegue atuar 90 minutos e não tem entrosamento com o restante da equipe.

Acho que os defalques ofensivos se equivalem.

No restante das equipes o Palmeiras não sente tanto. Pierre já não vem jogando e Sandro Silva sai mais para o jogo, é mais útil. Jéci não é indispensável. Já o Cruzeiro não tem seu motor Marquinhos Paraná que defende, ataca e cumpre funções táticas muito bem. Jadilson é uma importante válvula de escape pela esquerda e Thiago Heleno vem sendo o melhor zagueiro do time no ano.

O Cruzeiro perde mais. Outros fatores também podem equilibrar o confronto: o Cruzeiro é muito bom em casa e o Palmeiras apenas regular fora.

O certo é que o jogo não deve terminar empatado, ou pelo menos, ninguém vai valorizar 1 ponto nesse confronto.

A seleção que não evolui

Durante o jogo contra o Chile não consegui me contagiar pelo espírito "agora vai!". O resultado de 3 a 0 teve grande responsabilidade do técnico chileno que deu todo espaço que o Brasil queria. Aí realmente fica muito fácil. O que se viu contra a Bolívia foi a prova cabal que o time de Dunga não mostra a menor evolução.

Em junho, quando a seleção ficou concentrada por 21 dias, não vi nenhuma melhora entre o jogo contra o Canadá, passando por Venezuela e Paraguai até chegar na Argentina. O mesmo eu digo sobre a seleção olímpica que não apresentou nada diferente entre o primeiro e o último jogo.

A Bolívia havia jogado quatro vezes fora de casa nas eliminatórias, perdido as quatro e sofrido 17 gols, média superior a 4 por partida.

Um time que não sabe furar uma defesa porque essa se posta com duas linhas de 4 prova que está mal treinado.

Acredito que o técnico da seleção sobreviva no cargo mais um mês pelo menos graças aos 3 a 0 sobre o Chile. Assim como sobreviveu muito tempo com duas vitórias por 3 a 0 em cima da Argentina. O resto, é o preço que se paga.

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Complemento da 24ª rodada: informações e palpites

Náutico x Ipatinga: se o Timbú não derrotar o Tigre, vai completar dois meses com apenas duas vitórias. O time conquistou apenas 6 dos últimos 33 pontos disputados. Já o Ipatinga é lanterna, mas não perde há três rodadas e caso não saia derrotado vai atingir o seu recorde de partidas invictas na série A. Do lado mineiro, Márcio Bitencourt vai repetir a escalação pela terceira vez. Roberto Fernandes deve escalar Gilmar no ataque, ao lado de Kuki.
Palpite: Ipatinga

Internacional x Portuguesa: se o Inter quiser chegar a Libertadores no ano que vem precisa fazer mais 35 pontos para superar os 57% de aproveitamento que o Botafogo tem hoje, o quarto melhor da competição. Isso significa vencer 12 dos próximos 15 jogos. A Portuguesa tem campanha e objetivos mais modestos: tenta se manter na série A, mas em 11 jogos fora de casa, só venceu um e perdeu os outros 10. A Lusa tem ainda a pior defesa da competição.
Palpite: Internacional

Coritiba x Botafogo: o jogo vale uma vaga no G-4 no final da rodada. O Botafogo pode chegar aos 42 pontos e encostar nos vice-líderes. Se o Coxa vencer vai aos 40 pontos, empata com Flamengo e fica um ponto a frente de Botafogo e São Paulo. No Couto Pereira, a equipe só perdeu um jogo. O Botafogo tem o melhor aproveitamento nas últimas 10 rodadas: 23 pontos em 30 disputados. É difícil apontar um favorito.
Palpite: empate.

Fluminense x Grêmio: Com Cuca, o Fluminense tem duas vitórias e dois empates. O time começou a rodada como segundo melhor time do returno. Já o Grêmio só perdeu três vezes no campeonato e todas elas no Rio de Janeiro. O time mais uma vez vai ter 9 titulares em campo. Na verdade, são 10 porque Hélder ganha a vaga na ala-esquerda. Só Perea não joga. Se o Fluminense vencer, chega ao 13o lugar, sua melhor colocação no campeonato desde a 1a rodada.
Palpite: Grêmio

Será que ainda dá?

A vitória do Cruzeiro e a derrota do Palmeiras reabriu o campeonato para três times disputarem o título. Acredito que no próximo domingo, se houver um vencedor, a disputa fica definitivamente entre Grêmio e mais um. As torcidas dos Palestras seguem acreditando que o Grêmio vai tropeçar e diminuir o rendimento espetacular que tem. Até porque o time gaúcho joga fora de casa com os dois principais concorrentes.

Pro torcedor que quer secar, depois da 23ª rodada no ano passado, o Vasco de Celso Roth era o terceiro com 39 pontos e havia conquistado 22 pontos nos últimos 11 jogos. O Grêmio de 2008 tem 23 pontos em 30 disputados. Foi a partir da 24ª rodada que o Vasco começou sua queda com uma vitória e um empate em nove jogos e Roth foi demitido após a derrota para o Atlético-MG no Mineirão.

Antes do trabalho no Grêmio, o maior sucesso do treinador havia acontecido no Palmeiras de 2001 quando foi demitido com um aproveitamento de 58% na 20ª rodada. O Palmeiras daquele ano chegou a ter, na 12ª rodada, aproveitamento de 78%.

Não acredito que o Grêmio vai ter queda tão acentuada esse ano, mas os confrontos fora de casa podem pesar, mas não amanhã. O Fluminense, mesmo com Cuca, ainda não convenceu no Maracanã. Prevejo dificuldades para o Grêmio a partir da 27ª rodada quando pega o Inter no Beira Rio e depois o Botafogo. Vamos ver quem sobra de Palmeiras e Cruzeiro até lá.

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Para a lentidão não atrapalhar.




O Atlético teve contra Botafogo e principalmente Portuguesa um time muito lento no ataque. Jael e Lenílson não tem como características dar velocidade ao time e Pedro Paulo/Renan Oliveira também não são pontas.

Como o time precisa se acostumar a não ter Marques e Petkovic que são os jogadores aptos a darem esse ritmo seja por meio de lançamentos ou correria, Jael, Lenilson e R. Oliveira precisam atuar bem próximos. Hora vão conseguir tabelar e ganhar na força, hora vão abrir espaçoes para Serginho, Márcio Araújo e principalmente Mariano que vêm de trás em alta velocidade.

Escalar Lenilson como Pet e Renan como Marques só vai deixar bem claro que o time não tem jogadores capazes de fazer o que os dois fazem. Mas o Atlético pode se dar bem sem eles. Basta saber aproveitar as características dos que entram.

24ª rodada: os jogos do meio de semana

Goiás x Atlético-PR: naquela oportunidade, o Goiás não havia vencido ainda no campeonato e perdeu para o Atlético por 5 a 0 na Arena. Já o Furacão, apesar de goleadas por 5 a 0 sobre Ipatinga e o próprio Goiás, tem o quarto pior ataque do campeonato com 24 gols. Ou seja, nos outros 21 jogos, fez apenas 14 gols.
Palpite: Goiás.

Atlético-MG x São Paulo: o Atlético venceu metade dos jogos que fez no Mineirão (seis em 12) e entre os quatro primeiros não venceu nenhum. Em compensação, o Tricolor só saiu vencedor duas vezes fora de casa e a última contra o Vitória há 45 dias. De lá pra cá, disputou 15 pontos fora do Morumbi e conquistou 2.
Palpite: empate.

Santos x Vitória: o Vitória é o sexto colocado no campeonato com 37 pontos e o Santos o penúltimo no campeonato, 14 pontos abaixo dos baianos. No entanto, no segundo turno o alvinegro está melhor: fez 6 dos 12 pontos disputados e ainda não perdeu. O Vitória conquistou 5 pontos e já derrapou duas vezes no Barradão.
Palpite: empate.

Figueirense x Flamengo: o Figueirense vem ladeira abaixo: desde que venceu o Santos por 3 a 0, a equipe jogou 11 vezes e só venceu duas e empatou outras duas. Foram 7 derrotas. Já o Flamengo vem de cinco jogos invictos e pode retornar ao G-4 onde esteve da primeira a 16ª rodada e depois não entrou mais.
Palpite: Flamengo

Vasco x Cruzeiro: o time da casa tem a terceira pior defesa do campeonato, mas desde que Tita chegou, foram apenas 3 gols e uma derrota em quatro partidas. Em casa, o Vasco só perdeu para Palmeiras e Coritiba: em 11 jogos, marcou 28 gols. Edmundo, Jonilson e Mádson voltam ao time. Já o Cruzeiro não vence há três partidas com um ponto conquistado. Jejum parecido com o do primeiro turno quando ficou três jogos sem vencer, mas com dois empates. Depois disso, o time conseguiu 6 vitórias em 8 jogos.
Palpite: Vasco

Palmeiras x Sport: o Palmeiras tem ótimo aproveitamento nas últimas 10 rodadas: foram 22 pontos conquistados. 73%. No entanto, os números são idênticos aos do Grêmio, seu rival de momento. Melhor do que os dois, só o Botafogo que conseguiu um ponto a mais. O Sport perdeu 7 dos 12 jogos que fez fora de casa. Só venceu o Goiás e o Náutico. Dutra e Enilton que fizeram a jogada do gol contra o Inter: Dutra está suspenso e Enilton pertence ao Palmeiras.
Palpite: Palmeiras